Preparativos

Chegando no aeroporto de Orlando

Para muita gente que está indo para os EUA pela primeira vez, a chegada no aeroporto parece muito complicada, ainda mais em um país que é tão controlador com os procedimentos de segurança e exige um bom comportamento com os procedimentos de imigração e alfândega. Hoje vou contar para vocês o que esperar da chegada em Orlando e como entrar na cidade da magia sem complicações.

A felicidade em ver essa plaquinha não tem preço!

A felicidade em ver essa plaquinha não tem preço!

A grande maioria dos brasileiros chega em Orlando após uma conexão feita em outro aeroporto dos EUA, já que existem poucos voos diretos para a cidade, que partem de cidades como São Paulo, Rio, Campinas e Recife. O procedimento abaixo vale para qualquer aeroporto dos EUA em que você fizer a primeira parada depois de sair do Brasil:

Formulário da alfândega
Ao fazer o check-in em sua cia aérea no Brasil ou mesmo já dentro do avião, você poderá receber um papelzinho azul com um formulário para ser preenchido e entregue ao controle alfandegário do aeroporto. Neste formulário, você deverá escrever informações como o seu nome, número de passaporte, endereço do seu hotel nos EUA, se está levando alguns itens proibidos em sua bagagem, se está levando mais do que 10 mil dólares em espécie, etc.

Se o seu vôo vai parar primeiro em outro aeroporto dos EUA (especificamente Dallas, Miami, NY/JKF e Los Angeles), provavelmente você nem receberá o formulário pois irá passar pelos totens de auto-atendimento da imigração, que explico mais abaixo. Caso seu vôo seja direito pra Orlando, precisará preencher o papel azul pois os totens não estão disponíveis para todos os turistas.

formulario-alfandega-eua-vai-pra-disney
Atenção: esse formulário só precisa ser preenchido por 1 pessoa de cada família, ou seja, se você está indo com a sua esposa/marido e filhos, somente 1 deve preencher o papel. Além disso, todos da família devem morar na mesma cidade, pois se alguém mora em uma cidade diferente, este deve preencher um formulário sozinho.

As perguntas mais comuns:
– Felipe, estou indo com minha namorada, posso preencher para nós dois? Não
– Felipe, estou indo com minha mãe e moramos em casas separas na mesma cidade, posso preencher para nós duas? Sim
– Felipe, estou indo com minha família mas meu filho mais velho mora em outra cidade por conta da faculdade, posso preencher para todos? Sim, afinal você ainda sustenta o seu filho. Se não, ele deve preencher separado.
– Felipe, estou indo com minha família mas minha filha mais velha mora em outra cidade com o marido dela, posso preencher para todos? Não. Sua filha e o marido dela são outra família e devem preencher um formulário separado.

Se você estiver com dúvida sobre quem deve preencher o formulário, é só perguntar para as comissárias de bordo do avião ou para os funcionários do aeroporto, que vão lhe ajudar a esclarecer.
Depois de preencher esse formulário, guarde para apresentá-lo no posto de imigração e depois entregá-lo ao controle de alfândega.

Saindo do avião: imigração
Muito temida por várias pessoas, a imigração tem o simples objetivo de controlar quem está entrando nos EUA e as razões da sua viagem. As perguntas em geral são básicas, como “para onde você está indo”, “qual a finalidade da sua viagem”, “quanto tempo você vai ficar nos EUA”, “o que você faz da vida” e “quanto dinheiro você está levando”.
Nessa etapa não tem resposta certa, mas mentir é sempre uma resposta errada. Fique tranquilo e saiba que se você tem um visto de turista dos EUA estampado no seu passaporte, o agente da imigração não tem nenhum motivo para negar a sua entrada no país, a não ser que você esteja planejando ficar por lá ilegalmente.

Quase todos os aeroportos possuem agentes que falam espanhol, o que torna a comunicação para quem não fala inglês muito mais fácil, e alguns ainda contam com agentes que falam português. Além do mais, fique sabendo que eles estão MUITO acostumados com os brasileiros, então vá tranquilo e responda a todas as perguntas que te fizerem. Vale lembrar também que enquanto você espera para ser atendido, é proibido usar o celular e fazer bagunça. Então mantenha o celular no bolso e as crianças ao lado em respeito a autoridade.

Oficial da imigração dos EUA no ponto de controle de passaporte do aeroporto de Miami. Foto: Getty Images

Oficial da imigração dos EUA no ponto de controle de passaporte do aeroporto de Miami. Foto: Getty Images

Na imigração, o oficial vai pedir para cada um da sua família entregar o passaporte, tirar uma foto do rosto, e colocar as impressões digitais. Depois disso, ele irá carimbar os passaportes e também o formulário azul que você preencheu e que deve entregar mais pra frente na alfândega.

Atenção: por questões de segurança e privacidade, todas as perguntas relacionadas a política de imigração dos EUA não serão aprovadas e respondidas, ok 🙂

Totem de Imigração Automática
Para quem vai fazer escala antes de chegar em Orlando, alguns aeroportos dos EUA (Miami, Dallas e o JFK em Nova Iorque, por exemplo) contam com terminais automáticos de imigração. São totens de auto-atendimento em que você mesmo coloca suas informações, escaneia o passaporte, o visto, digitais e tira foto – tudo em português. Ali você faz também a declaração alfandegária, respondendo às perguntas do formulário azul dali de cima.

Totens de auto-atendimento da imigração americana. Créditos da foto: James Tourtellotte

Em seguida, um recibo é impresso e nele diz se você poderá ir diretamente para a área de retirada das bagagens ou, se tiver um X em cima, será direcionado a um balcão de atendimento tradicional com o funcionário da imigração.

Não sei se é porque meu visto fica em um outro passaporte já vencido e eu ando com dois passaportes ou qual o motivo específico, mas todas as vezes que eu usei esse serviço meu recibo veio com o X e eu tive que passar no balcão com o funcionário da imigração. Caso isso aconteça com você não se assuste! É normal. Dali, o funcionário vai fazer as mesmas perguntas que mencionei no tópico anterior e tudo tranquilo.

Abaixo tem um video do aeroporto de Miami mostrando o passo a passo de como passar pelo totem, dá pra ter uma ideia do que esperar:

Vale mencionar também que existe uma lista de requisitos para poder passar nesses totens de auto-atendimento, e um deles é ter um visto B1/B2 (o visto normal de turista/negócios) válido, ou seja, a maioria esmagadora dos viajantes brasileiros poderá usar esse serviço caso ele esteja disponível no seu aeroporto de chegada. Se você estiver viajando com algum outro tipo de visto ou passaporte, vale checar direitinho as regras no site oficial do programa aqui.

Infelizmente, no aeroporto de Orlando os totens ainda não estão disponíveis para todos os turistas viajando com passaporte brasileiro, então aqui o procedimento é quase sempre o tradicional formulário azul, fila e balcão, como mencionei no primeiro tópico.

Baggage claim? Agora é esperar
Ao completar o processo de imigração, chegou a hora de esperar um pouquinho para as suas malas sairem do avião. Os aeroportos dos EUA são tão organizados que é bem provável que a hora que você saia da imigração, as suas malas já estejam te esperando quietinhas no chão. Se não, é só aguardar um pouco ao lado das esteiras na área que é chamada de Baggage Claim e retirar suas malas quando sairem.

Esteira de bagagem no aeroporto de Orlando.

Finalmente a alfândega
Como no Brasil, a alfândega nos EUA controla a entrada de produtos no país e inspeciona as bagagens quando acharem necessário. Para a maior parte dos brasileiros, esse processo é bem rápido já que o nosso problema vai ser na alfândega da volta para o Brasil 🙂

De qualquer maneira, você tem que passar pela alfândega dos EUA junto com todas as malas e todos da sua família. Um policial vai pedir o formulário azul preenchido no avião e carimbado pelo oficial da imigração, e vai te liberar ou te enviar para a inspeção (o que é super difícil de acontecer, mas já fui uma vez). Caso você tenha passado pelo totem de auto-atendimento de imigração, não vai ter o papelzinho azul, e sim o recibo da máquina. É ele que você vai entregar ali, e provavelmente responder uma ou duas perguntas simples sobre o motivo e duração de sua viagem. Nesse momento, eles irão carimbar seu passaporte.

Importante lembrar que caso você esteja levando alimentos frescos, frutas, plantas ou outros produtos que possam carregar doenças e pestes de um país para o outro, você deve declarar no formulário azul (ou no auto-atendimento) e passar pela inspeção para garantir que está tudo certo. Mentir nesse ponto pode incidir em cobrança de multa, então tome cuidado. E claro que levar um pacote de bolachas, balas ou chocolate não tem problema nenhum.

Conexão? Sim senhor
Caso você esteja chegando nos EUA diretamente pelo aeroporto de Orlando, considere-se sortudo pois ao sair da alfândega você está livre para correr para o hotel (ou para o supermercado? parque? shopping?) logo depois de pegar o seu carro nas locadoras que ficam no primeiro piso do terminal.

Mas caso a sua viagem ainda não tenha terminado, você vai precisar pegar mais um avião (ou dois?) até chegar em seu destino. Então a primeira coisa a se fazer é despachar novamente as bagagens que você teve que retirar do avião para fazer alfândega. Eu sei que no Brasil esse processo é traumático, mas lembre-se que eu disse que nos EUA os aeroportos são bem organizados, então logo ao cruzar a linha da alfândega, um funcionário da sua cia aérea já vai estar te esperando para colocar suas malas no outro voo.

O processo é incrivelmente rápido pois quase todo mundo já sai do Brasil com as malas etiquetadas até o destino final (Exemplos: GRU – ATL – MCO, caso você esteja saindo de São Paulo, indo para Atlanta e depois para Orlando. Ou ainda GIG – MIA – MCO, caso você esteja saindo do Rio, indo para Miami e depois para Orlando). Se tiver com dúvidas é só procurar o balcão da sua companhia.

Agora vá em direção a área de embarque e passe pelo controle de segurança com raio-x das bagagens de mão e detector de metais, em que todos as pessoas entre 12 e 75 anos devem tirar o sapato (Dica: siga a voz da experiência nunca viaje sem meia kkk acredite, eu já fiz isso). Corra pro portão de embarque e espere para entrar no avião rumo a Orlando 🙂

Ponto de segurança com raio-x. Foto: Redjar

Ponto de segurança com raio-x. Foto: Redjar

O aeroporto de Orlando – MCO para os íntimos
Dividido em dois terminais, o A e o B, o aeroporto de Orlando não é enorme mas faz bonito quando o comparamos com os do Brasil. Ele tem um estilo engraçado, muito diferente dos aeroportos americanos que são gigantes, frios e azuis. Vale a pena entrar no site do aeroporto que é em Português! Clique aqui para acessar.

Saguão do aeroporto de Orlando

Todos chegam na área de embarque e pegam um trenzinho/monorail (o primeiro de muitos na sua viagem) até o terceiro andar do terminal principal. Dali, você se dirige para o Baggage Claim que fica no segundo piso do terminal, descendo um lance de escadas rolantes. Depois de pegar as malas, basta ir até o primeiro piso para pegar o seu carro na locadora ou outro tipo de transporte. O Disney’s Magical Express, ônibus para quem está hospedado nos hotéis do complexo, também ficam no primeiro andar. É tudo muito bem sinalizado e não faltam placas para se localizar!

Placas no primeiro andar do aeroporto que indicam onde pegar o transporte da Disney e aonde ir para as locadoras de carro.

Pronto. Saia de aeroporto e curta o úmido ar da cidade da diversão. Aproveite bastante pois a próxima vez que você voltar a esse aeroporto, provavelmente você vai estar bem triste por estar indo embora.



O Vai Pra Disney é um blog independente e não é um canal mantido pela The Walt Disney Company. As informações contidas nesses sites representam a opinião de seus autores, colaboradores e usuários. Walt Disney World Resort, nomes e logos são marcas registradas da The Walt Disney Company.