Além dos Parques

Diário de Viagem: Cruzeiro Disney de 3 noites para Bahamas – dia 1

Resolvi contar sobre os nossos cruzeiros de uma maneira diferente de agora em diante. Além de fazer os posts de sempre, com as informações, nossas opiniões e experiências sobre cada tópico, vou escrever também como foi o dia a dia. Assim quem sabe você pode sentir um pouquinho do clima da nossa viagem e ver o que acha ou não interessante para a sua.

É lógico que não vou fazer isso para os cruzeiros que fizemos há mais tempo, mas de agora em diante em diante, se vocês gostarem, vou escrever mais sobre o nosso “diário de viagem”. Na verdade estou dentro do navio enquanto escrevo o post mas vou publicar só depois. Ou seja, basicamente eu estou escrevendo do passado ou você está lendo esse post no futuro – depende do ponto de vista. 😛 

Acho que fazer um diário de viagem é o melhor jeito de contar um pouquinho como é o nosso dia a dia nos cruzeiros da Disney.

Acho que fazer um diário de viagem é o melhor jeito de contar um pouquinho como é o nosso dia a dia nos cruzeiros da Disney.

Perfil do cruzeiro

Este foi um cruzeiro bem curtinho por motivos estratégicos: foi o primeiro com a Julia (nossa filha de 8 meses) e o primeiro com os meus pais. Para garantir que todos eles se adaptariam bem à rotina do navio, resolvemos escolher um cruzeiro bem pequeno. Hoje é o último dia da viagem e já posso dizer que todo mundo (ou ao menos todo mundo que sabe falar) queria ficar mais! Acho que se a Julia falasse não ia querer ir embora também porque está curtindo horrores, superou as nossas expectativas.

Então só para que você possa entender algumas escolhas do nosso dia a dia, acho importante dizer que o nosso grupo durante a viagem foi composto por mim, pelo Felipe, a Julia (minha pituca <3), meus pais e mais um casal de amigos do meus pais que também nunca tinham feito um cruzeiro antes.

Cruzeiro Disney de 3 noites para Bahamas – Dia 1

O Felipe, Julia e eu já estávamos em Orlando então fizemos nossas malas na manhã do dia de embarque, compramos algumas coisas que obviamente eu deixei para última hora e que levaríamos na mala de mão (tipo umas garrafas de água, já que água de garrafa não é de graça no navio e eu sempre gosto de ter umas no quarto). Meus pais chegaram nos EUA no dia do cruzeiro e o Alfredo e a Vera (o outro casal de amigos, super super legal) foram buscá-los.

Já no Porto a gente entra no clima Disney da viagem!

Já no Porto a gente entra no clima Disney da viagem!

Como manda o figurino, eu fiz o nosso check in online antecipadamente para poupar tempo no dia do embarque, e no momento do check in online, já escolhi a hora de embarcar no navio. Em outro cenário, eu teria escolhido logo o primeiro horário disponível, afinal, quanto mais cedo você entra no navio, mais tempo tem para curtir as piscinas e todas as ofertas de entretenimento com calma. Essas primeiras horas são ótimas pois como não é todo mundo que já embarcou, as piscinas e o Aquaduck (toboágua presente no Dream e no Fantasy) estão bem mais tranquilos.

Por outro lado, essa não era uma viagem comum: era nossa primeira vez no navio com a Julia, nossa bebê (com 8 meses na data da viagem). Por causa dela, a gente preferiu entrar no navio um pouco mais tarde, quando os quartos já estariam disponíveis. Assim eu poderia entrar e montar o acampamento com calma.

"Túnel" que leva até a entrada do navio.

“Túnel” que leva até a entrada do navio.

Não sei se já falei disso antes aqui no blog, mas para quem não sabe, nos navios funciona assim: se você entra logo cedo, pode aproveitar as piscinas, Aquaduck, buffet, open house de várias partes do navio, tudo com mais calma antes das outras pessoas embarcarem. Apesar disso, o quarto só fica pronto lá pelas 13h (lembre-se que o quarto estava ocupado por outra pessoa até de manhã. Eles precisam limpar o navio inteiro!) e sua mala chega no meio da tarde (até as 17h, mas pode chegar antes).

Ou seja, se você entrar muito antes das 13h, vai precisar ficar com sua mala de mão pelo resto do navio até seu quarto ficar pronto. Com a Julia no colo, achei melhor poder entrar no quarto direto, então optamos por embarcar no navio 13h15.

Por contar com toda a parafernalha de um bebê, optamos por um quarto mais espaçoso, com varanda.

Por contar com toda a parafernalha de um bebê, optamos por um quarto mais espaçoso, com varanda.

Entramos, fomos direto para nosso quarto,  conhecemos a pessoa que cuidaria do nosso quarto rapidamente, troquei a Julia, deixamos as coisas e fomos ao que realmente importa: comida! 😀 Encontramos o resto do nosso grupo no Cabana’s, onde como sempre, nos fartamos. Eu sempre acabo montando uns pratos meio sem sentido nesses buffets (tipo lasanha com farofa, sabe?), ainda mais em um tão bom quanto o Cabana’s, mas apesar da falta de combinação entre minhas escolhas, estava tudo ótimo! Particularmente eu e o Felipe tentamos maneirar um pouco na comilança, porque tínhamos uma reserva para jantar no Palo.

Depois do almoço, aproveitamos que boa parte do navio estava em horário de open house (ou seja, recebendo visitas em várias áreas que normalmente são abertas só para determinadas pessoas, em geral crianças ou adolescentes) para visitar os clubes infantis. O Dream é um navio maravilhoso e bem novinho, o que torna fácil perder horas passeando por ele. A Julia pirava a cada Mickey que via na decoração das coisas, pirava com as cores, com as outras crianças, muito engraçado! Realmente eu me surpreendi como um bebê consegue aproveitar os estímulos do navio.

Área de Toy Story no Oceaneer Club que visitamos durante o Open House. Normalmente a entrada de adultos não é permitida.

Área de Toy Story no Oceaneer Club que visitamos durante o Open House. Normalmente a entrada de adultos não é permitida.

A gente acabou se distraindo tanto passeando pelo Dream que já deu a hora do treinamento obrigatório que fala sobre os procedimentos de segurança em caso de alguma emergência, então fomos direto para o local do treinamento. O chatinho é que você fica um tempão parado esperando o treinamento que no fim dura menos de 10 minutos. Para você ter idéia, a espera estava tão monótona que a Julia dormiu em pé no canguru.  

Detalhe fofo que é essa micro-porta perto dos clubes infantis.

Detalhe fofo que é essa micro-porta perto dos clubes infantis.

Depois disso, fomos assistir o Sailing Way, showzinho que acontece no momento que o navio sai do porto com vários personagens da Disney. Um momento fofo que sinaliza  que a viagem oficialmente começou. Acabando o show, foi só o tempo da Julia mamar e já era hora de me arrumar pro jantar.

Sailing Away, show que marca o início da viagem!

Sailing Away, show que marca o início da viagem!

Nosso jantar rotacional (jantar padrão dos navios), estava marcado para 20h15, então optamos por agendar nosso jantar no Palo bem cedo, logo às 18h. Assim daria tempo de deixar a Julia com meus pais enquanto a gente jantava e voltar antes das 20h15, quando tanto eles como a Julia, comeriam no Enchanted Garden.

O Palo é um restaurante só para adultos e segue um código de vestimenta mais restrito. Nada de super luxo, mas por exemplo, exige calça dos homens. E adivinha o que o Felipe esqueceu em Orlando? Isso mesmo, suas calças! Só colocou bermuda na mala. Ele jurava que tinha colocado calças, mas esqueceu.

Conversa vai, conversa vem, decidimos dar uma de João sem braço e aparecer lá como se não soubéssemos de nada. Eu, que estava arrumada, fui na frente e o Felipe foi atrás. Como você pode imaginar, não colou. Logo na recepção, com toda delicadeza fomos lembrados do código de vestimenta do restaurante. Quando Felipe falou que não tinha calças no navio (que cena!), eles nos informaram que teriam calças para emprestar, era só ele dizer o tamanho que vestia. Então fica aí a dica para quem tiver qualquer imprevisto do tipo e quiser visitar o Palo ou o Remy.

Por essa polenta incrível vale até carão de pedir calça emprestada no restaurante!

Por essa polenta incrível vale até carão de pedir calça emprestada no restaurante!

Como sempre, o jantar do Palo estava sensacional. Este é um dos melhores restaurantes que eu já comi na vida e logo logo vou escrever um post de avaliação sobre o jantar e o brunch de lá. Eu normalmente prefiro ir no Palo em um dia mais calmo, mas como esse era um cruzeiro curtinho, com parada em portos todos os dias, não teríamos nenhum dia calmo. Então fui matar a saudades desse restaurante logo de cara. Comida perfeita em ambiente lindo, mais do que valeu os US$30 adicionais cobrados para se comer ali.

Massa recheada de vitela que o Felipe pediu no Palo.

Massa recheada de vitela que o Felipe pediu no Palo.

Souffle de chocolate do Palo. Sobremesa super tradicional e deliciosa!

Souffle de chocolate do Palo. Sobremesa super tradicional e deliciosa!

Como acontece praticamente em todas as nossas viagens, o Felipe inventou de dizer que era o nosso aniversário de casamento e o garçom trouxe um prato todo decorado nos dando parabéns. Se eu comemorasse um ano de casada cada vez que o Felipe fala que é nosso aniversário, já estaria nas bodas de ouro. Mas fazer o que? Ele adora ver a minha cara de “Que que foi?” quando o garçom me dá parabéns e tem curiosidade de ver se o restaurante faz alguma coisa para celebrar.

Comemorando mais um ano de casado que ainda não completei!

Comemorando mais um ano de casado que ainda não completei!

Depois do nosso jantar,  voltei correndo para encontrar a Julia (sim, eu já estava morrendo de saudades enquanto ela estava tranquilona brincando com o livrinho da fazenda que ela tanto ama) e logo já era hora de descer para o segundo jantar. Antes que você ache que a gente explodiu de tanto comer até o final do cruzeiro, já aviso que todos passam bem. hehehe Nós NÃO jantamos duas vezes esse dia não (apesar do Felipe ter comido duas sobremesas), nós só fomos ao segundo jantar para bater papo e para pedir uma papinha pra Julia.

A Julia é uma super companheirinha de viagem, mas odeia papinha industrializada. Ela vira a cara ou joga a colher longe quando eu tento dar, enquanto para papinha caseira ela come com a melhor das bocas. Eu até levei papinha indrustrializada para uma emergência, mas pedi para o nosso garçom fazer um purê de alguns legumes para ela jantar e foi ótimo.

O pessoal do navio faziha as papinhas que eu pedia. Eu levei as colheres da Julia porque eles não tem colher de bebê por lá.

O pessoal do navio faziha as papinhas que eu pedia. Eu levei as colheres da Julia porque eles não tem colher de bebê por lá.

Se você vai viajar com bebê para um cruzeiro da Disney, pode fazer essa solicitação sem custo adicional, só precisar pedir antecipadamente.Todo dia eles vinham me perguntar o que eu queria para o almoço e jantar dela, e ela adorava. Comia mais do que aqui em casa até (e olha que ela come bem!)!

Jantar, conversas, conversas, conversas, Julia jogando todos os brinquedos, talheres e guardanapos no chão por hobby e o jantar chegou ao fim. No caminho de volta para o quarto, paramos para tirar foto com a Minnie simplesmente porque a Julia surtou de ver ela ali.

Foi bem engraçado porque enquanto a gente estava na fila, a Julia pirava de ver a Minnie e dava vários gritinhos de alegria. Já quando a Minnie chegou perto da gente, ela agarrou no meu braço super desconfiada. A gente mal conseguia tirar uma foto porque a Julia não queria saber de olhar para a câmera. Em vez disso, olhava para a Minnie com maior cara de “é você mesmo?”.

"Minnie, é você mesmo?"

“Minnie, é você mesmo?”

Voltamos para o quarto, demos banho na Julia, ela mamou e dormiu direto. Julia rapidinho entendeu a proposta de comer e relaxar no cruzeiro, impressionante. Fim do primeiro dia! O segundo dia, com parada em Nassau, conto no segundo post desse diário de viagem! 🙂



  • Que bom que gostou, Vanessa 🙂
    E fico feliz que esteja gostando dos nossos vídeos, continue ligada que estamos sempre postando novidades toda semana!
    Bjs
    Felipe

  • Oi Fábio, tudo bem e você?
    Obrigado pela mensagem!
    Os valores do cruzeiro variam de acordo com a duração, época e itinerário.
    A gente pode fazer uma cotação por email, caso tenha interesse basta enviar para reservas@vpdtravel.com
    Abs
    Felipe

  • Oi Amanda,
    Obrigado pela mensagem, fico feliz que tenha gostado do nosso relato, em breve vem a continuação 🙂
    A gente ainda não fez nenhum cruzeiro por lá que não seja da Disney, mas acredito que a grande parte das regras devem ser similares sim, a dica é checar no site da companhia as proibições do que não pode levar a bordo, do que está incluso, etc.
    A gente voltou para o o mesmo hotel em Orlando depois do cruzeiro, então eles guardaram nossas malas numa boa. Vale conversar com o seu hotel e ver se eles não guardam pra você mesmo que você não fique hospedada depois – acho bem possível que façam!
    Abs
    Felipe

  • Oi Luciana,
    Obrigado pela mensagem e pelo carinho!
    Agradecemos a sugestão e vamos levar em conta para fazermos roteiros assim dos parques também 🙂
    Abs
    Felipe

  • Oi Juliane,
    Obrigado pela mensagem!
    A gente acabou indo de carro mesmo, mas para ir com o ônibus o ideal é reservar com antecedência sim.
    Abs
    Felipe

  • Danielle Leite

    maravilha

O Vai Pra Disney é um blog independente e não é um canal mantido pela The Walt Disney Company. As informações contidas nesses sites representam a opinião de seus autores, colaboradores e usuários. Walt Disney World Resort, nomes e logos são marcas registradas da The Walt Disney Company.