VPD Orlando - Vai Pra Disney
Preparativos da viagem

Economizar em Orlando: guia completo com dicas

Em tempos de dólar alto e tanta coisa acontecendo no mundo, é sempre bom ter dicas para economizar na viagem ou ainda para poder escolher gastar só onde realmente importa, concorda?

Aqui no blog a gente já falou de dicas para economizar diversas vezes em momentos diferentes, mas foi só depois de fazer uma série de vídeos sobre esse assunto no nosso canal que eu fui reparar que nunca tinha feito um post completo sobre economia em Orlando, reunindo TODAS as dicas que hoje estão espalhadas por aqui e adicionando outras novas. Às vezes eu fico chocada com os posts que eu acho que escrevi e descubro que não existem! Esse aqui já passou da hora de existir, né?

Então aqui está o Guia de Dicas para Economizar em Orlando, com tudo o que você precisa saber. E como o assunto rende muito, assim como foi no canal, vou dividir esse guia em 5 partes. Hoje vou falar mais de dicas gerais, e os próximos posts vão ser sobre:

  • Dicas pra economizar nas compras em Orlando
  • Dicas para economizar na hospedagem em Orlando
  • Dicas para economizar nos parques de Orlando
  • Dicas para economizar na alimentação em Orlando

Sempre que surgir alguma dica nova de economia muito boa, vou atualizando esse guia, combinado? Aliás, se você tiver uma dica legal pra dividir, me conta aí nos comentários. Tenho certeza que vai poder ajudar muita gente.

Guia de Dicas para Economizar em Orlando

Parte 1: Dicas Gerais

Escolha bem a época da sua viagem

Essa é provavelmente a decisão que mais vai impactar o custo da sua viagem. Na alta temporada os preços dos hotéis são sempre bem mais caros, assim como passagem aérea e até os ingressos dos parques.

Além de tudo isso, é claro que na alta temporada os parques também ficam mais cheios do que na baixa temporada. Ou seja, escolhendo bem a época da viagem você tem mais tempo para curtir tudo e fazer bom proveito do dinheiro que você gastou com a viagem (o que pra mim, já é uma forma de economia).

Imagem do Magic Kingdom à noite. A foto mostra o castelo iluminado de roxo e muitas pessoas em frente.
Além de pegar os parques mais vazios, viajar na baixa temporada também é bem mais barato!

Já falei muito aqui no blog de melhores e piores épocas mas esse post é o melhor mesmo pra você avaliar as diferentes épocas para economizar. O Guia Orlando Mês a Mês também pode ajudar a saber melhor o que esperar em uma determinada época que você se interessou.

Tenha senso crítico para economizar

Parece óbvio, mas se você não prestar atenção, é super fácil se deixar levar na empolgação da viagem e gastar tempo e dinheiro com coisas que não valem a pena. Eu mesma preciso tomar cuidado com isso sempre!

Tem muita coisa legal ou até gratuita pra fazer em Orlando, mas a gente precisa lembrar que o tempo de viagem é limitado. Se não dá pra fazer tudo, mesmo que seja legal ou que seja gratuito, será que é o melhor uso do seu tempo de férias?

Você não vai querer viajar até Orlando pra acabar passando o dia fazendo um negócio que não tem nada a ver com você ou que você poderia ter feito na sua cidade. Toda vez que eu descubro uma programação nova em Orlando, minha primeira reação é ficar super empolgada pra conhecer logo e contar aqui no blog, mas depois eu me acalmo e penso: tá, mas e daí que é diferente? É legal mesmo? Tem a ver comigo? Vale tempo de férias? Mais da metade das vezes a resposta é NÃO!

Já fiz um vídeo com os principais erros na viagem de Orlando pra você não cair em nenhuma cilada:

Não economize nas coisas erradas

Nessa mesma linha de ter senso crítico, também acho importante criar prioridades claras e não economizar em todo canto sem critério. Não vai cortar justamente o que é importante pra você, quando tem tanta coisa que é segundo plano.

Por exemplo, acho que NUNCA faz sentido cortar seguro viagem ou a visita a um parque que você quer muito conhecer. Todo orçamento é feito de escolhas, então entenda primeiro o que é o principal na sua viagem, o que mais te motiva a ir pra Orlando. Definido o que é principal, pronto! Faça esse o foco dos seus planos e do seu orçamento. Assim as suas escolhas no orçamento serão mais conscientes. Se precisar de uma ajudinha, eu já fiz um post com dicas de gastos que dá pra cortar da viagem sem prejudicar muito o seu aproveitamento, ou se preferir é só dar play no vídeo aí embaixo:

Se você não tomar decisões conscientes, a situação sai do controle e você começa a gastar com o que não tinha nem planejado para começo de conversa. Escreva num papel o que você não está disposto a abrir mão na sua viagem, defina suas prioridades e assim, as decisões do que cortar ou não ficam mais fáceis. 

Na compra de dólares para levar para viagem, eu também recomendo o Nomad, uma fintech brasileira que te permite abrir uma conta digital nos EUA e por dela, você consegue comprar dólares com o IOF mais baixo e transferir direto para a nova conta. Quando você for viajar, você faz todas as suas compras e pagamentos com o cartão Nomad, e ainda tem o benefício de usar sua carteira digital como Apple Pay, Google Pay ou Samsung Pay. Durante o meses de Agosto de Setembro de 2021, você pode abrir uma conta e ganha um crédito de $15 dólares usando o cupom VPD15. Clique aqui ou no banner abaixo para abrir a sua conta:

Economizar na compra das passagens aéreas 

Os preços de passagem oscilam muito e por isso, esse é um dos pontos do planejamento que mais gera ansiedade e medo de tomar uma decisão errada. Ninguém quer comprar uma passagem e depois descobrir que pagou caro demais! Apesar disso, sinto que o mais prejudicial mesmo é ficar paralisado esperando uma promoção chegar e nunca comprar a passagem com medo de ver um desconto maior depois.

Não adianta, passagem aérea depende de tantos fatores que o preço e como ele vai variar ao longo do tempo é meio imprevisível mesmo. Não tem simpatia nem fórmula mágica – existe apenas pesquisar e acompanhar os preços.

Normalmente (mas não é uma regra absoluta) você começa a achar valores mais vantajosos uns 4 meses antes da data da viagem, dependendo da taxa de ocupação do vôo. Apesar disso, muitas empresas aéreas podem oferecer tantos descontos de última hora como preços hiper vantajosos com mais tempo de antecedência para garantir a ocupação dos aviões. Nesse contexto de pandemia, tem muita passagem sendo vendida com muito desconto e com uma baita antecedência. Então de novo: focar em acompanhar os preços vai ser sempre a melhor estratégia.

Imagem de cartões de embarque para Orlando. As passagens são uma boa oportunidade de economizar.
A compra das passagens sempre causa ansiedade, né?

Minha dica pra não pagar demais é bem nessa linha: se inscreva nos sites de promoção, monitore as datas que te interessam e acompanhe para saber das promoções. Assim você vai entendo melhor a variação de preços e vai saber dizer quando eles estiverem vantajosos para fazer a sua reserva.

Só não vale ficar esperando o menor preço do mundo ou ficar checando os preços depois que fechar a compra pra ver se aparece algo melhor. Pra que cutucar a ferida? Depois de fechar a passagem, vá curtir as outras etapas do planejamento que você ganha mais. 🙂

Importante: sempre que você encontrar uma passagem MUITO mais barata que a média, antes de correr para fechar, entenda todos os detalhes, regras e condições para garantir que vale a pena mesmo.

Não estou dizendo que não vai valer a pena, mas avalie com atenção:

  • bagagem inclusa,
  • quantidade de escalas e o tempo de cada uma delas
  • duração total do vôo

Todos esses detalhes vão afetar a sua experiência e, dependendo do perfil do seu grupo, podem transformar a promoção em uma bela furada.

Imagem do terminal do aeroporto de Orlando. A letra B indica o terminal e os locais para retirar bagagem, alugar carro e os estacionamentos.
Entenda direitinho todos os detalhes de escalas pra ver se o voo faz sentido pra você!

Pra quem tem uma viagem muito curta, perder um dia inteiro numa escala pode ser um preço alto demais a se pagar. Ou pra quem vai viajar com criança, as viagens com mais escalas ou muito longas podem ser desgastantes demais. Veja o que está disposto a fazer para economizar e quais possíveis perrengues está disposto a passar.

A resposta vai ser sempre pessoal, mas como é um gasto grande e importante, sempre é bom fazer esse planejamento com cuidado. 

E os pacotes?

A mesma lógica de olhar os detalhes para saber EXATAMENTE o que você está fechando vale para os pacotes promocionais que já incluem passagem e hospedagem por um preço super vantajoso, como por exemplo as promoções oferecidas pelo Hurb (e para essas eu já até fiz esse post explicando o que você precisa avaliar pra ver se vai valer a pena). Não existe uma resposta única e você vai precisar olhar cada detalhe com atenção para definir se vale a pena pra você ou não.

E milhas?

Se você tiver algum cartão que acumula milhas, é hora de checar esse saldo! Já pensou que delícia se você descobre que já tem milhas para pagar sua passagem? Eu sou uma eterna defensora de só usar pontos do cartão pra viajar e nunca gasto milha com eletrodoméstico ou sapato.

A única parte chata de viajar com milhas é que as vezes a oferta de vôos é mais limitada. Nesse caso, normalmente quanto mais antecedência você fechar, mais barato (em milhas) você consegue reservar sua viagem e também encontra mais opções de vôos. Os vôos sem escalas são os primeiros a ficarem indisponíveis ou caríssimos pra quem viaja com milhas.

Avalie suas opções de transporte

Orlando não é uma cidade amigável para se andar a pé, mas isso não significa que aluguel de carro seja a única opção viável. Aliás, normalmente não é nem a mais barata (apesar de ser sim a minha preferida).

Qual é a melhor opção?

Se você quer economizar no transporte, o primeiro passo é entender bem as suas alternativas e basear sua decisão nessa análise e não na experiência dos outros. Digo isso porque tem gente que vai defender aluguel de carro e outras que são super fãs de Uber. Não significa que elas saibam o que é melhor pra você (eu também não sei!).

Tudo vai depender das suas preferências, da sua programação, dos detalhes da sua viagem (por exemplo, se o seu hotel já oferece algum transporte pros parques), do perfil do seu grupo e do seu orçamento. Falo tudo sobre as alternativas nesse post.

Imagem de uma rua em Orlando, com ônibus e carros parados no semáforo. As placas indicam o caminho para as rodovias.
Dá pra aproveitar Orlando com e sem carro, dependendo da sua programação e do seu perfil

Em geral, viajar sem carro pode sim ser mais barato, mas também menos flexível. Quanto mais fixa sua programação diária (como por exemplo quem pretende ficar o dia todo no parque), mais tranquilo é depender de Uber. Já para quem pretende circular por diferentes pontos no mesmo dia, o carro oferece uma flexibilidade valiosa.

Se você decidir alugar carro veja todas as dicas para não gastar com o que não precisa e ver suas opções para economizar aqui. Não vou repetir porque tudo que você precisa saber já está explicadinho nesse post.

E pra não perder controle do orçamento, não esqueça de considerar todos os gastos que o aluguel de carro traz, como gasolina, pedágios e estacionamento (nos parques e as vezes no hotel também).

E também não precisa gastar com GPS, viu? Além dos aplicativos todos que você pode acessar do celular se decidir comprar um chip, tem também o aplicativo com GPS offline pra quem não tem chip. Antes mesmo de sair do Brasil ou até mesmo no WiFi do aeroporto de Orlando você pode baixar no seu celular o mapa da Flórida no GPS offline, e ele super quebra o galho.

Se você decidir não alugar carro, veja todas as opções que você tem disponível no Manual de Orlando sem Carro. Uber e Lyft provavelmente farão mais sentido para a maioria das pessoas que querem praticidade e estão com um orçamento apertado. Nesse caso, fica a dica de estimar os valores da corrida nos horários de abertura e fechamento dos parques, quando pode ter um multiplicador devido à alta procura, falo sobre esses pontos nesse post aqui. Assim você consegue uma ideia mais precisa de quanto vai custar.

Imagem do chip de celular com internet ilimitada, que pode ajudar a economizar na viagem.
Chip de celular acaba sendo bem necessário pra quem vai viajar sem carro

E se você escolher usar Uber e Lyft, considere também comprar um chip de celular. É complicado ficar refém do Wi-Fi gratuito de todo lugar que você vai visitar, né? Se Uber vai ser seu transporte, garanta que você vai conseguir chamar um sempre que precisar.

Como eu falei, a ideia desse post são só algumas dicas iniciais que não caberiam tão bem nos temas dos outros posts desse guia. Espero que essas e as próximas dicas sejam úteis para que a sua viagem saia do jeitinho que você quiser e dentro do seu orçamento, independente do tamanho dele.