Viagem do Leitor

Orlando com crianças por Lue

A Lue é uma leitora assídua do VPD e resolveu compartilhar com todos nós, seus aprendizados e o seu planejamento para a viagem a Orlando com o marido e sua filha pequena. O texto trás várias dicas super úteis para quem está querendo viajar com crianças pequenas, então, espero que curtam muito! DICA IMPORTANTE: ao longo do texto, você irá encontrar algumas palavras ou termos de uma cor diferente. Clicando neles, você encontra mais informações sobre o que a Lue está comentando ok?

Orlando com crianças

por Lue

Renata e Felipe,
Conheci o site de vocês há cerca de dois anos, quando comecei a programar minha viagem para Orlando em Setembro/2014. Logo de cara se tornou meu blog favorito de dicas para a Disney. Passei a acompanhá-lo diariamente e ainda hoje, mesmo já tendo realizado minha viagem, continuo lendo o site.

Vocês me ajudaram em tudo na programação dessa viagem de sonho, mas principalmente, me deu a coragem para programá-la sozinha, de acordo com minhas preferências e objetivos. Também me sinto na obrigação de frisar que utilizei quase todas as dicas de vocês, e foram todas maravilhosas! Desde as dicas quanto a programação da viagem, roteiros, atrações, compras, até restaurantes (Buca di Beppo, Perkins, Olive Garden), supermercado (Whole Foods) e comidinhas.

DSCN1281

Eu sempre li as dicas de vocês, e gosto muito de ler os comentários também, pois envolvem dúvidas gerais, de todo viajante. Eu mesma nunca escrevi e nem enviei perguntas, já que todas as minhas dúvidas foram sanadas através dos posts e das respostas aos comentários. Porém, há alguns dias, vi que foram publicados relatos de viagem de fãs do blog, que como eu, utilizaram suas dicas, e me interessei em escrever, visto que achei que ficou faltando um relato de viagem com crianças… o grande diferencial, acredito, é que quando se está com criança pequena, a gente dá prioridade para atrações mais infantis, e não temos tanto pique para fazer algo depois de passar o dia todo no parque, andando pra lá e pra cá.. além de tentar fazer um roteiro mais tranquilo, sem muita correria, e com mais flexibilidade pra mudar de acordo com a necessidade.

Programei tudo com muita antecedência, desde a emissão do passaporte e visto até a compra das passagens, ingressos, reserva de hotel, carro, programação diária com uma certa flexibilidade, mas com a finalidade de poder aproveitar cada minuto. Após muita pesquisa, decidi que iria ficar em dois hotéis diferentes, no primeiro período ficaria dentro da Disney, aproveitando todos os benefícios de um hóspede do complexo, e depois ficaria num hotel fora da Disney, mais perto da Universal Studios. Comprei meu pacote de hospedagem Disney em uma operadora no Brasil mesmo, pois os preços não eram tão diferentes, além da possibilidade de parcelamento.

O pacote incluía hospedagem de 8 dias no Disney’s All Star, ingresso para 6 dias de parques, e o Disney Dining Plan (quick service) gratuito; poderia listar incontáveis benefícios de ser um hóspede do complexo (magic band, fastpass, free refil mug, estacionamento gratuito, transporte gratuito, …), mas acho que somente vivendo essa magia mesmo, para poder entender o sentido literal da palavra.

Como comemoraríamos o aniversário da minha filha em Orlando, sabia exatamente o que queríamos fazer nesse dia. Portanto, com seis meses (!!!) de antecedência, reservei a transformação em princesa na Bibbidi Bobbidi Boutique e o almoço no Cinderella’s Royal Table. Além de reservar todos os Fastpass+ possíveis em cada parque que iria. Para o encontro com as princesas Anna e Elsa do filme Frozen, por exemplo, o uso do Fastpass também era indispensável.

Viajamos eu, marido e filha de 5 anos na época (comemoramos seu aniversário de 6 anos na Disney, com tudo que tinha direito) em 01/09 a 21/09/2014 pra Orlando, com escala em Atlanta pela Delta Airlines. E o roteiro foi mais ou menos esse:

No geral, a programação que seguimos foi a listada acima. Mas como sempre acontecem imprevistos, vou contar abaixo o que aconteceu. Antes porém, segue pontuações a respeito dos seguintes tópicos, tem umas dicas que nem vou citar, pois quem acompanha os blogs de dicas da Disney, já estão por dentro de tudo, vou falar mais da minha experiência pessoal:

Visto e passagem aérea para Orlando

Assim que decidir fazer essa viagem (a primeira ao exterior do marido e da filha), agilizei o processo de requerimento do passaporte e visto. Existem vários blogs que orientam a tirar o visto americano, inclusive fazer serviço de despachante, mas resolvi fazer por minha conta mesmo, como explicado aqui no VPD. Tirei o passaporte e não tive problema algum, algumas pessoas ficam tensas na hora da entrevista, mas acredito que por ser família com criança pequena indo pra Orlando, consegui o visto tranquilamente.

Definida as datas das férias, parti para compra da passagem. Diariamente acompanhando os preços, escolhi a companhia que fez o melhor valor na época, e peguei as datas em que poderia ficar mais tempo possível aproveitando a viagem.

Escolha do hotel em Orlando

Resolvi me hospedar em dois hotéis diferentes por vários motivos: porque queria viver a magia Disney plenamente me hospedando no complexo e ao mesmo tempo, achei que não valeria a pena financeiramente ficar todo o período das férias num hotel da Disney, porque eles são um pouco mais caros, haveria dias que iríamos a Universal e outlets, portando deixaríamos de utilizar os benefícios de ser hóspede da Disney.

Esperei aparecer uma promoção do plano de refeições grátis (free Dining Plan) para o meu período de viagem, e assim que ficou disponível, eu já realizei a reserva através de uma operadora parceira da Disney no Brasil. Pesquisei o preço em todas elas, e escolhi a que fez um preço melhor. A vantagem fazer essa reserva no Brasil é poder parcelar, o câmbio é fixo, e o atendimento em português. O preço não variava quase nada, até porque, se fizesse esse pacote pelo site oficial da Disney, teria que pagar IOF no cartão de crédito. O pacote abrangia a hospedagem + ingressos + refeições.

Antes de escolher um hotel na internet, eu gosto de pesquisar os comentários de quem já se hospedou no local. Uso muito os sites Trip Advisor, Booking e o Hotéis. Optei por um hotel bem localizado, perto da Universal, limpo e com cozinha, para caso quiséssemos fazer alguma refeição.

Ambos os hotéis eu gostei muito. Sobre o hotel da Disney que ficamos, All Star Sports, não tem muito o que comentar, atendimento dez, limpeza diária, quarto de um tamanho razoável, mas nos atendeu perfeitamente. Já no hotel da rede Extended Stay America, a limpeza não é diária, mas acho que isso é muito comum nos EUA. Tentamos manter os quartos limpos e arrumados, na medida do possível. Tudo o que precisamos nos foi atendido. Tinha café da manhã gratuito, era simples, mas era o suficiente. A geladeira era grande, cabia muita água, sorvete, gatorade, rsrsrs, tudo o que compramos no Walmart. A localização era ótima também, com farmácia, lanchonetes perto, e teve até um dia em fomos a pé para a Universal, economizando no estacionamento, muitas pessoas faziam isso.

Aluguel do carro

Desde o início do planejamento para a viagem, não quis abrir mão da comodidade de ter um veículo a disposição. E isso se mostrou indispensável, justamente quanto mais precisamos. Realizei a reserva através de um site, e o pagamento seria feito na entrega do veículo. Saímos do aeroporto de Orlando com o carro da Alamo e retornamos o mesmo na data do retorno, muito tranquilo.

Andei muito em todo período da viagem, e somente abasteci no retorno ao aeroporto. O carro estava imundo (quem tem filho sabe que é difícil manter a limpeza), e somente descarreguei as malas e autorizei o desconto no cartão de crédito.
Estava um pouco preocupada em dirigir carro automático, pois nunca tinha tipo a oportunidade, mas é muito fácil. Tanto que no retorno ao Brasil, demorei uns dois dias pra pegar o jeito no carro de novo.

Levei o assento do carro para minha filha, pois como ela estava com 5 anos e faria 6 por lá, e sairíamos diretamente do aeroporto, não quis correr o risco. O assento não é muito grande e muito leve, portanto não foi um problema. Levei meu GPS do Brasil, com um mapa da Florida atualizado, e confesso que foi uma maravilha. Era só digitar o endereço, o nome do parque ou POI (Points of Interest, tipo Walmart) que ele imediatamente indicava o local. Dirigir em Orlando é muito tranquilo, tudo sinalizado, com pessoas respeitando o trânsito e o limite de velocidade.

Escolha dos parques

Optei por comprar um ingresso de seis dias para os parques da Disney, já sabendo que iria repetir o Magic Kingdom, ainda não tinha resolvido se iria repetir o Epcot ou Hollywood Studios. Acabei voltando ao Hollywood Studios. Portanto fui duas vezes ao Magic Kingdom e Hollywood Studios, uma vez no Animal Kingdom e Epcot, e também fui ao Island of Adventure, Universal Studios, Wet’n Wild e Sea World.

Os ingressos da Disney, conforme já falei, comprei num pacotão, os ingressos do complexo Universal, comprei no site Decolar, e os ingressos do Sea World acabei comprando no Walmart em Orlando mesmo, pois já sabia que queria ir nesse parque, mas ainda não havia comprado o ingresso.

Consegui um preço bom, para utilização no meio da semana, já que para quem está de férias, acaba sendo indiferente. Também fui no Cirque Du Soleil, porém não estava programado. Fomos dar uma volta no Downtown Disney e por curiosidade fui perguntar quanto era o ingresso e os horários das apresentações, a atendente era brasileira, muito simpática, e ótima vendedora, tanto que conseguiu nos convencer a assistir a apresentação, e nos conseguiu ótimos lugares por um preço muito bom também.

Não optei por outros parques por falta de tempo mesmo, portanto, tive que priorizar os que mais nos interessavam.

As atrações dos parques

No período da minha viagem, sabia que as filas não estariam muito grandes, e foi realmente maravilhoso. O que não tinha agendado o Fastpass+, enfrentei no máximo 15 min de fila. E os parques da Universal, onde não comprei o Universal Express, as filas também estavam curtas. Imprimi os roteiros do VPD, e utilizei como guia. Foi ótimo, ajudou muito.

No MK, que é um parque mais infantil, gastamos o primeiro dia inteiro na área Fantasyland. Como estávamos com a nossa filha, demos prioridade para as atrações que mais a agradaram, e tudo ela queria repetir! Rsrsrs, mas o tempo era curto, então a gente ia somente uma vez em cada atração e caso sobrasse tempo, poderíamos repetir.

DSCN1263

Adorei também o Epcot e Animal Kingdom, além do Hollywood Studios, que estava tendo uma programação especial do Frozen (a febre do momento). Acabamos por voltar lá, pois por conta dessa programação, apesar de ser um parque menor, não conseguimos ver tudo em um dia.

Em todos quatro parques da Disney, chegávamos bem cedo e saíamos depois do parque fechar, ficando pra ver os shows finais e fogos. Nossas atrações favoritas em cada parque:

  • Magic Kingdom – Seven Dwarfs Mine Train
  • Animal Kingdom – Finding Nemo Musical
  • Epcot – Test Track
  • Hollywood Studios – Toy Story Mania

Nos parques da Universal, para otimizar o tempo, resolvemos ir primeiro ao Islands of Adventure, ver a parte do Harry Potter, pegar o Hogwarts Express e ver a parte do Harry Potter no Universal Studios também, depois retornar ao Islands, e finalizar o parque.

Achei que o Island of Adventure tinha menos atrações, e seria interessante aproveitar o dia pra finalizar a área do Harry Potter que é a mais concorrida, e foi minha preferida também. Eu amei as atrações do HP, melhor impossível. Gostei também dos Minions, Homem-Aranha, Transformers, Simpsons … só achei que tem algumas atrações que nos molham totalmente, ou seja, tem que levar uma muda de roupa. O parque não é aquático, mas essas atrações espirram tanta água, que ficamos completamente ensopados.

Compras em Orlando

Eu não tinha o interesse de comprar muitos eletrônicos, somente uma câmera digital, pois estava sem, e talvez um celular. A câmera eu comprei logo quando cheguei, pois não poderia ficar sem tirar fotos rsrsrs. Estava com um preço ótimo e ainda vinha com uma bateria extra (muito recomendado), além de ser a prova d’água.

O celular eu comprei numa loja dentro do Premium Outlet, o preço não estava grandes coisas, mas como estávamos precisando, resolvemos comprar. Eu levei o meu celular do Brasil, e ele foi indispensável por vários motivos: utilizando o My Disney Experience dentro dos parques da Disney, monitorando a fila das atrações, fotos com personagens e horários de funcionamento de restaurantes e o parque em geral, além de ter utilizado para me comunicar com o povo do Brasil através do Whatsapp mas utilizando o wi-fi do hotel, parques, aeroporto…

Fora isso, queria comprar roupa para minha filha, isso conseguimos na Ross, TJ, Walmart e tênis compramos no outlet. Piramos no Walmart por conta do preço dos brinquedos, dá vontade de levar tudo! Quem tem criança sabe como são caros os brinquedos no Brasil e é assustador ver os preços nos EUA, menos da metade. É revoltante isso também! Enfim, comprei muito brinquedo, pra filha, pra sobrinhos, amigos, pra dar de presente.

Alimentação na viagem

No período que fiquei na Disney, peguei uma promoção que incluía o Plano de Refeições da Disney (Dining Plan – Quick Service). Portanto, almocei e jantei nos parques e no hotel, e tomei café da manhã alguns dias no quarto e outros no hotel.

Busquei quais as melhores refeições em cada parque de acordo com o meu plano, me programei, e foi ótimo. Não que eu tenha achado que a comida era espetacular, mas pegar uma promoção dessa com refeições gratuitas, deu uma boa economia. Alguns dos restaurantes onde comi dentro dos parques: Be Our Guest, Columbia Harbour House, Sunshine Seasons, Katsura Grill, Yak and Yeti Local Foods Café. Todas refeições de balcão (Quick Service) e não lanches, mas dentro dos parques há opções para todos os gostos.

DSCN1790

O que eu recomendo muito, é comprar água no supermercado e levar aos parques, pois a água engarrafada lá dentro é muito cara e apesar de haver bebedores espalhados pelo parque, eu não gostei do sabor da água.

Fora dos parques, nós comemos em vários restaurantes indicados no blog, como Olive Garden, Buca di Beppo, Perkins… (não consegui ir ao Cheesecake Factory, mas dá próxima vez eu vou de qualquer jeito, rsrsrsr). Também no iHop, Panda Express, Wolfgang Puck Express, Earl of Sandwich, Cookes of Dublin, entre outros.

Sobre viajar com crianças

O barato de viajar com crianças, nesse caso, é que aproveitamos muitas coisas que quando se estão somente adultos, eles ficam encabulados de fazer, rsrsrsr… tipo o caderno de autógrafos, passaporte no Epcot e as fotos com os personagens. Fizemos com todos que encontramos! Fomos em atrações que não iríamos, e ao mesmo tempo, não deixamos de aproveitar nada por estar com a pequena. Até na Torre do Terror ela foi!!!

Uma coisa que levamos do Brasil e utilizamos muito lá foi o carrinho dela. Apesar dela não usar mais o carrinho em casa, em Orlando ele foi muito útil. Os parques são muito grandes, e a gente anda muito o dia todo, chegando cedo e indo embora tarde. Então para ela não cansar tanto, ficava no carrinho.

DSCN1338

Na saída de cada parque, anda-se bastante também até chegar ao estacionamento, e algumas vezes fomos ao Walmart após sair dos parques e ela tirava um cochilo. Além do carrinho servir também para ajudar a carregar nossas mochilas, com água, muda de roupa, documentos, lanches.

A muda de roupa é uma coisa importante de carregar também, pois tem alguns brinquedos, principalmente na Universal Studios, que nos molha completamente. Por isso eu achei sempre útil carregar uma muda de roupa.

Utilizamos também a fila single rider, algumas vezes e o child swap somente em uma atração do Harry Potter que ela não pôde ir por causa da altura. Em todas as outras atrações ela conseguiu ir tranquilamente.

Seguro viagem / Imprevisto

Como prometi no começo do post, irei relatar um imprevisto que ocorreu durante nossa viagem.

No dia que estava programado para irmos ao Wet’n Wild, na volta para o quarto após o café da manhã, minha filha tropeçou no corredor, que era carpete e bateu com a cabeça o batente da porta e abriu um corte ao lado do olho direito.

Na hora fiquei assustada com a quantidade de sangue e dei uma balançada, mas rapidamente peguei nossos documentos e seguimos para o hospital mais próximo. A vantagem de ter o carro alugado e o GPS é que em cinco minutos estávamos lá. Seguimos para a emergência, e a partir desse momento, o procedimento de atendimento foi parecido com o Brasil: faz-se um cadastro, depois a criança é identificada, mede a pressão, temperatura.. passa pela triagem e segue para aguardar atendimento.

DSCN3119

Ela precisou levar cinco pontos e retornar ao hospital após cinco dias para retirar os pontos. Não precisou tomar remédio algum, eu só passei uma pomada antiinflamatória e graças a Deus não inflamou. Pudemos continuar com a viagem tranquilamente, seguindo nossa programação normal. Ela só pode ir ao Wet’n Wild após retirar os pontos. No próprio hospital ligamos para o seguro viagem, relatamos o ocorrido, fizemos um cadastro e em momento algum tivemos que pagar algo. O atendimento foi ótimo.

O nosso seguro viagem foi adquirido junto ao plano de saúde da empresa do marido, portanto, foi gratuito para nós. E muito bom e eficiente.

Retorno ao Brasil

O outro imprevisto ocorrido, foi que não embarcamos no vôo original de retorno.

Embarcamos normalmente em Orlando, com destino ao Rio de Janeiro e escala em Atlanta com a cia Delta. Porém, achei estranho em Orlando, que apesar dos assentos estarem marcados com meses de antecedência, não conseguimos confirmá-los. Quando cheguei em Atlanta, no balcão de embarque ficamos sabendo que por problemas técnicos, trocaram o modelo do avião e este não tinha a mesma quantidade de assentos, portanto, algumas pessoas teriam que ficar em terra.

Nos foi dada a opção de embarcar para Santiago no Chile e depois ao RJ, ou embarcar no dia seguinte no mesmo horário. Por não ter pressa e achar que seria mais cansativo ir para Santiago, optei por aguardar mais um dia.

Havia muitas pessoas revoltadas, irritadas, xingando, reclamando, o que achei desnecessário, mas cada um sabe dos seus problemas, e algumas pessoas já estavam cansadas vindas de outra cidade ou perderiam conexão ao chegar no RJ. Por fim, aguardei nosso voucher do hotel, compramos um lanche no iHop e fomos descansar.

No dia seguinte, aguardamos pacientemente no aeroporto, o voo era a noite às 22h.. porém no meio da tarde, ouvi um chamado com relação ao nosso voo e fui conferir o que era. Eles haviam cancelado o voo e este somente partiria no dia seguinte de manhã. Confesso que nesse momento fiquei muito revoltada, pois já estava aguardando a mais de um dia para retornar ao Brasil, e novamente teria que postergar o retorno.

Eu que, na noite anterior, tinha aceitado numa boa ficar aguardando por um dia, fiquei estressada também, todos estávamos já cansados de aguardar, minha filha também já estava entediada e doida pra voltar para casa. Reclamei muito no balcão, mas o rapaz que realizava o atendimento já tinha até emitido o voucher do hotel, porém, não aceitei e solicitei falar com um superior.

Fiquei sabendo que naquela mesma noite tinha dois voos para São Paulo e sugeri que nos colocassem naquele voo, visto que moramos no interior do RJ, mas a 3h de SP. Depois de muito chorar, brigar, reclamar, mas sem levantar a voz, emitiram nossa passagem para SP, num voo que sairia em meia hora.

Fiquei preocupada com a nossa bagagem, que não víamos desde o dia anterior, mas de qualquer jeito, aceitamos, pois já estávamos muito cansados e loucos pra voltar pra casa. A melhor coisa: nossos assentos eram de primeira classe!!!

Enfim, conseguimos voltar pra casa, viajando de primeira classe; a viagem foi excelente, muito espaço, assento totalmente reclinável, comida boa, entretenimento, para compensar e relaxar depois de um stress desses que passamos. Ao chegar em SP, duas malas (de um total de seis) não embarcaram, ficaram em Atlanta. Abrimos um chamado e partimos pra casa. No dia seguinte, as malas já estavam nos esperando em casa. Nessa parte, o atendimento da Delta foi excelente.

Conclusão

Pessoal, esse meu relato foi um resumão, não coloquei todo o roteiro dia a dia, acho que iria ficar grande demais. Posso ter deixado passar algo, mas confesso que com tanta pesquisa que eu fiz depois dessa viagem, já estou virando expert e consultora dos amigos próximos que estão indo pra Orlando. E isso é muito bacana e gratificante! Acho que dessa maneira, posso entender como vocês se sentem ajudando tantas pessoas com suas dicas preciosas a esse destino fantástico, que tendo filhos ou não, sempre vale a pena conhecer.

Um beijão

Lue, Flavio e Alice

Se você assim como a Lue tiver histórias para contar sobre sua viagem para Orlando, ou quiser registrar como foi a refeição em algum restaurante da cidade, compartilhar o seu roteiro, ou ainda relatar como foi a estadia no hotel escolhido, nos escreva mandando o seu texto, fotos e vídeos e eles poderão ser publicados aqui no Vai Pra Disney. O endereço é viagemdoleitor@vaipradisney.com (lembrem-se que dúvidas não serão respondidas por esse e-mail, por favor use as caixas de comentários do site).



O Vai Pra Disney é um blog independente e não é um canal mantido pela The Walt Disney Company. As informações contidas nesses sites representam a opinião de seus autores, colaboradores e usuários. Walt Disney World Resort, nomes e logos são marcas registradas da The Walt Disney Company.