Viagem do Leitor

Pai e filha na Disney por Nilton

O Nilton é um paizão que nos escreveu contando como foi a viagem dele com a filha de 6 anos para Orlando. A riqueza de detalhes e a quantidade de dicas que ele nos dá em seu roteiro, vale a leitura do começo ao fim. Então embarque nessa aventura dos dois e perceba a importância de preparar uma viagem com o intuito de criar memórias incríveis para as crianças.

Pai e Filha na Disney

por Nilton Silva Filho

Sou casado e tenho um casal de filhos, sendo um menino de 2 anos e uma menina de 6 que foi a minha companheira nessa aventura. Uma viagem para Orlando com a minha família sempre esteve nos meus planos, pois gostamos muito de tudo o que é relacionado à Disney e meus filhos amam os filmes e personagens.

A minha idéia era viajar daqui há uns três ou quatro anos com toda a família, mas uma promessa feita pelo meu irmão quando minha filha nasceu fez com que esse plano fosse antecipado. Ele prometeu que levaria a minha filha para a Disney quando ela crescesse e conforme ela foi crescendo sua expectativa com relação à viagem foi aumentando na mesma proporção.

pai-e-filha-viagem-dianey-orlando-nilton-castelo

Porém meu irmão nunca conseguiu programar suas férias com muita antecedência devido ao seu trabalho então coube a mim essa difícil tarefa (rsrs) de levar a minha filha para Orlando, com as despesas dela pagas pelo tio. Sim, nessa viagem a fada madrinha se chama “Tio Boby”. Como o meu filho ainda é muito pequeno e não estávamos preparados financeiramente para uma viagem com a família toda (infelizmente meu irmão não fez a promessa “tamanho família” rsrs). Decidi em conjunto com a minha esposa que viajaríamos apenas eu e minha filha dessa vez, e essa viagem serviria de experiência para programar as férias com a família toda daqui a alguns anos.

Com a viagem já decidida chegou a hora de iniciar os preparativos. Estávamos nos primeiros dias de 2015 e lembro que apesar de ter muitas informações sobre viagens para a Disney baseadas em relatos de amigos muitas dúvidas começaram a pipocar na minha cabeça: visto, passaporte, quais atrações/parques ir, o que seria necessário fazer ou agendar com antecedência, orçamento, etc. Apenas para ficar claro, meu irmão iria bancar à parte da minha filha, então além de me preocupar com a minha parte e do orçamento como um todo, ainda tinha toda a logística da viagem para ser definida.

E foi nesse ponto que o vai pra Disney? Entrou nessa história. Lembro que ao pesquisar por informações na internet encontrei muitos sites/blogs com um extenso conteúdo sobre a Disney, porém o que mais me chamou a atenção foi o Vai pra Disney?. Além da organização dos conteúdos e riqueza dos detalhes percebi que os autores faziam aquilo com muito amor e carinho e automaticamente o blog tornou-se a minha principal fonte de informações. Entrava no site diariamente e devo ter lido praticamente todas as matérias publicadas…rsrs

Documentação

A primeira coisa que fui atrás foi a documentação necessária, então precisei obter passaporte e visto tanto pra mim quanto pra minha filha. Com relação ao passaporte, um amigo me deu uma dica que acho muito importante compartilhar: não sei qual o motivo, mas o site da PF vai liberando os horários para o atendimento nos postos em alguns momentos específicos do dia, então se você por acaso tentar agendar o seu atendimento e só estiver disponível para daqui a 2, 3 meses, não se desespere! A dica é ir entrando no site da PF várias vezes ao dia para verificar novas opções de datas disponíveis. Comigo aconteceu justamente isso. A primeira vez que entrei no site só haviam datas disponíveis em março, e ainda estávamos nos primeiros dias de janeiro! No dia seguinte pela manhã, entrei algumas vezes no site e consegui realizar o meu agendamento para o dia seguinte!

O próximo passo foi conseguir o famigerado visto. Achei o processo todo bem mais simples do que imaginava, apesar de ser um pouco estressante. Preencher o formulário DS-160 é sem dúvida a parte mais “chata”. Mas encontrei o vídeo no Vai pra Disney que detalha o preenchimento e graças a isso não tive muitas dificuldades. Em menos de 1 mês estava com o passaporte e visto em mãos.

Logística

Como tinha certa flexibilidade de datas para viajar, escolhi o mês de Maio por ser considerado um mês “tranqüilo” com relação à filas e também porque queria aproveitar os parques aquáticos, pois piscinas são uma das paixões da minha filha, assim como de toda criança que se preze, rsrs.

Um ponto importante que tive que levar em conta na minha viagem foi o fato de não possuir habilitação. Devido à isso a logística de nossa estadia em Orlando foi toda pensada em como poderia otimizar nossa locomoção utilizando os outros meios de transporte disponíveis na cidade.

Como decidimos que a duração da viagem seria de duas semanas, a solução que encontrei foi a seguinte: ficaríamos hospedados a primeira semana em algum hotel Disney e faríamos todas as atividades “Disney” durante esse período. Isso nos permitiria utilizar o Magical Express do aeroporto para o hotel e as opções de transporte do hotel para os parques. Do ponto de vista financeiro achei interessante porque nessa primeira semana não teria nenhum gasto com locomoção.

Para a segunda semana precisaríamos ficar “estrategicamente posicionados” em algum lugar próximo à International Drive pois visitaríamos os demais parques nesse período, e a idéia era utilizar o máximo possível o transporte do hotel que ficaríamos e complementar o restante com o I-Trolley e Táxi.

Reservas

Com a datas já estabelecidas e ingressos adquiridos chegou a hora de realizar todas as reservas necessárias para proporcionar para a minha filha a melhor experiência possível. As primeiras reservas que fiz foram justamente as mais concorridas: jantar no Cinderella Royal Table e Bibidi Bobidi Boutique, ambas no mesmo dia. A idéia era fazer com que minha filha fosse jantar no castelo já “transformada” em princesa. O detalhe aqui é que não tive dificuldade em realizar a reserva para o jantar no Castelo, porém para o salão Bibidi bobidi Boutique consegui apenas um dos últimos horários disponíveis, ou seja, quase não foi possível agendar ambos para o mesmo dia.

Como o nosso pacote incluía o Dinning Plan (um crédito Table Service e um Quick service por dia) procurei agendar pelo menos uma refeição por cada parque Disney visitado, e a relação de reservas para refeições ficou assim:

No jantar com a Cinderella

Além das reservas acima, precisei comprar a passagem do transporte que leva até o parque Legoland (que não fica em Orlando, mas em uma cidade vizinha) e também ingressos para as recém inauguradas atrações do complexo I-360, a roda gigante Orlando Eye, o museu de cera Madame Tussauds e o aquário Sea Life. Esses ingressos foram comprados pela Internet utilizando cartão de crédito internacional.

Preparativos adicionais

Por essa viajando sozinho com a minha filha, uma das preocupações que tive foi com relação à sua segurança e ainda no Brasil mandei confeccionar uma pulseira de identificação (uma por dia na verdade, porque eram de plástico daquele tipo que se você tirar, não consegue usar novamente) na qual constava o nome da minha filha completo, a sigla BRA e desenho da bandeira do Brasil, além do número do telefone que estaria utilizando durante a viagem e o número da nossa casa no Brasil. Acho que essa é uma dica muito importante para quem vai viajar com crianças, pois apesar de toda estrutura existente nos parques, nunca se sabe o que pode acontecer.

Decidi também que durante a primeira semana seria interessante alugar um carrinho para minha filha que, apesar de ter quase 6 anos e não usar carrinho ha pelo menos 3, com certeza sentiria o desgaste natural que a diversão dos parques geram. Aluguei um carrinho da empresa Kingdom Strollers que aparece no site da própria Disney como empresa recomendada.

Roteiro

Bom, após muitos preparativos e uma expectativa enorme, enfim chegou o grande dia de nossa viagem. Graças a Deus fomos muito abençoados e nossa viagem aconteceu 99% conforme o planejado. O nosso roteiro ficou assim:

1º Dia – Chegada em Orlando (12/05)
Pegamos um vôo noturno e chegamos em orlando por volta das 11:30 da manhã. Todo o processo no aeroporto foi bem tranqüilo e recomendo muito o Disney Magical Express (que foi agendado com antecedência no site da própria Disney). Não sei se demos sorte com relação ao horário mas após sermos atendidos no posto de atendimento da Disney no aeroporto em menos de 20 minutos já estávamos saindo do aeroporto em direção ao hotel. Durante o percurso o motorista se apresentou e fez algumas piadas com todos através de um sistema de som interno do ônibus. Eu achei excelente já ir entrando no clima da Disney ao sair do aeroporto.

Fizemos check-in no hotel All Star Music por volta das 13:00. Como tinha deixado esse dia “livre” para evitar que possíveis atrasos e imprevistos pudessem impactar o roteiro, descansamos algumas horas, pois chegamos na hora prevista. Após isso fomos de táxi ao Walmart da Vineland Road para fazer algumas compras “básicas”. Um serviço do Walmart que utilizei e acho uma dica válida é a opção de comprar pelo site e mandar entregar na loja. Comprei um jogo de malas da American Tourister com 5 peças e paguei apenas U$ 100 em uma promoção do site. Não entendo muito de malas, mas elas atenderam muito bem as nossas necessidades (fomos para Orlando apenas com bagagem de mão). O preço da corrida até o Walmart ida e volta + gorjetas ficou em 50 dólares.

2º Dia – Magic Kingdom (13/05)
Em todos os parques não consegui chegar tão cedo quanto havia programado (lembrem-se de que era um pai sozinho com uma filha, ou seja, 30 minutos para pentear cabelo de menina de forma decente rsrs). Chegamos cerca de 40 minutos após a abertura do parque e achei que conseguiríamos fazer bem menos coisas do que fizemos. Fomos nas atrações na ordem abaixo:

  • Fotos na Main Street e em frente ao Castelo
  • Buzz Lightyear Space Ranger (FP+)
  • Stitch Great Scape
  • Carroussel of Progress – Sim eu sei…não planejava ir nessa atração mas quando chegamos na Tomorrowland minha filha apontou para essa atração e me perguntou o que era. Quando eu disse carrossel do progresso ela ficou muito interessada…e realmente adorou! O detalhe é que minha filha estava com o Ears to the World então ela pôde entender tudo o que era dito e a tal musiquinha infernal.
  • The Adventures of Winnie the Pooh

Minha filha na frente da atração do Ursinho Puff

  • Seven Dwarfs Mine Train (FP+) – Minha filha adorou a ambientação e a parte da branca de neve no final, porém a montanha russa em si ela não gostou. Isso serviu de termômetro para as demais atrações que priorizei durante a nossa viagem.
  • Almoço no Be our Guest – Simplesmente fantástica a decoração e ambientação do restaurante. Uma obra prima.
  • Parada das 3 (FP+) – Minha filha ficou maravilhada!
  • Foto com a princesa Tiana na Liberty Square – A princesa Tiana é a princesa favorita da minha filha e ela adorou o encontro.
  • Pirates of Caribbean (FP+) – Excelente! Quando saimos da atração direto na loja, queriamos comprar tudo, tamanha a “lavagem cerebral” que a atração proporciona…rsrs
  • Mickey’s Philharmagic – Excelente!
  • It’s a Small World – Demorou para me livrar da música que insistia em não sair da minha cabeça. Putz…lembrei dela de novo…Minha filha adorou.
  • Mad Tea Party – Achei que seria mais tranqüilo. Tive que fazer um certo esforço segurando no centro da xícara para não deixar girar com muita velocidade.
  • Playground dentro da atração Dumbo The Flying Elephant.
  • Bibbidi Bobbidi Boutique – Fizemos o pacote mais básico, pois não tínhamos muito tempo para a reserva no Royal Table. Já sabendo disso eu havia comprado o vestido no Walmart no dia anterior. Recomendo fortemente a “transformação” para todos os que vão ao parque com meninas. O ambiente é muito mágico e a minha filha se sentiu uma verdadeira princesa. O sorriso dela ao ver o resultado é algo que não tem preço.
  • Cinderella’s Royal Table – Uma experiência simplesmente fantástica desde a recepção no castelo pela própria Cinderela até a interação com as princesas durante a refeição. Confesso que estar lá com a minha filha vendo a alegria em seus olhos me deu uma sensação de missão cumprida que é quase impossível descrever em palavras. É um daqueles momentos que você percebe que todo o seu esforço valeu a pena e foi com certeza um momento marcante da viagem.
  • Wishes – Para fechar com chave de ouro um dia realmente mágico. Eu achei espetacular e à altura da minha expectativa, porém percebi que minha filha não se empolgou tanto.

3º Dia – Disney Springs (antigo Downtown Disney) e Cirque du Soleil (14/05)

Fomos dormir bem tarde no dia anterior então achei que seria muita “judiação” levantar cedo então saímos do hotel por volta das 11:30 em direção a Downtown Disney pois tínhamos uma reserva para almoçar no T-REX. A ambientação do restaurante é realmente sensacional e achei uma experiência bem bacana. Minha filha adorou. Principalmente devido à existência de um pequeno playground para as crianças brincarem de escavar fósseis de dinossauros.

Passeamos bastante pelas diversas lojas existentes em Downtown Disney , mas nenhuma cativou mais a nossa atenção que a loja Lego. Passamos um bom tempo lá durante os dois momentos do dia em que visitamos a loja. A dica aqui é: mesmo que você vá ao parque Legoland, se ver alguma coisa que queira comprar, compre ali mesmo! Os preços são os mesmos e na loja tinha uma opção de montar os bonequinhos lego comprando peça por peça que não encontrei no parque.

Para finalizar o dia nós assistimos ao show do Cirque du Soleil e gostamos bastante. Os artistas são de primeiro nível com performances de cair o queixo. O que mais me chamou a atenção foi o fato de todo o espetáculo possuir a trilha sonora sendo executada ao vivo. Para quem gosta de música ao vivo assim como eu é um show à parte!

4º Dia – Epcot Center (15/05)
Chegamos pouco tempo depois do parque abrir e a primeira coisa que fizemos foi tirar uma porção de fotos em frente a famosa “bola da Disney”. Fomos ao parque na sexta-feira do último final de semana do Flowers and Garden Festival e a decoração do parque estava simplesmente sensacional. As topiarias são de cair o queixo! Recomendo que quem esteja em orlando na época do festival não deixe de ir no parque nem que seja para passear e tirar muitas fotos.

Nosso roteiro no parque foi o seguinte:

  • Soarin (FP+) – Uma das melhores experiências da viagem! É uma atração que na minha opinião não pode ficar de fora de nenhum roteiro no Epcot. Minha filha estava com um pouco de receio quando expliquei a atração para ela porém no final ela estava querendo ir de novo.
  • Living with the Land – De fato é uma atração meio motótona mas minha filha gostou de ver as estufas, plantas e tal.
  • The Seas with Nemo and Friends – Uma atração muito bonita!
  • Spaceship Earth (FP+) – Gostamos bastante da interatividade da atração. Os animatrônicos são muito bem feitos.

Na frente do Spaceship Earth

  • Fotos com o Tico e o Teco – Encontramos eles próximos da entrada do Spaceship Earth.
  • Almoço no Arkeshus – Além da interação da minha filha com as princesas gostei muito do sistema de almoço com buffet. No caso do Arkeshus temos a opção de escolher um prato principal e se servir à vontade em um buffet variado de saladas, frios e outros acompanhamentos.
  • Pavilhão do México e a atração Gran Fiesta Tour. Encontramos o Donald vestido de mexicano e tiramos fotos.
  • Club Cool – Eu gostei e minha filha achou divertidíssimo provar os refrigerantes de vários lugares do mundo com os mais variados sabores possíveis. É curioso perceber a cara que os gringos fazem quando provam o nosso guaraná…acho que é a mesma que eu fiz quando provei o refrigerante da África do Sul….achei horroroso!
  • Fotos com o Mickey, Minie e Pateta no Epcot Character Spot (FP+)
  • Playground Monstros S/A. Primeiro de muitos playgrounds que fizeram parte da viagem. Esse playground é sazonal para o festival e fica entre o pavilhão do Canadá e o Future World em uma área meio “escondida”. Achei um ótimo lugar para deixar a criançada à vontade e descansar um pouco da andança.

Percorremos todos os demais pavilhões tirando várias fotos tanto da ambientação dos países como das topiarias espalhadas pelo parque. Só consegui percorrer todos os pavilhões porque estava com o carrinho e minha filha pôde ir tranqüila sentada e até chegou a cochilar em um determinado momento.

Topiárias do Frozen na Disney

Conseguimos carimbar todas as folhas do “passaporte Epcot” da Disney que compramos logo na entrada do parque e minha filha adorou chegar nos pavilhões e ficar procurando onde estavam os funcionários da Disney responsáveis por carimbar o passaporte e representar os respectivos países. Pouco antes das nove horas da noite fomos embora pois percebi que minha filha já estava bem cansada do dia cheio que tivemos. Ainda perguntei para ela se ela não queria ver o show de encerramento, mas ela deu aquela resposta bocejando: “nãooooo papaaaaai….vamos para o hoteeel….”. Sei que o show é imperdível e tal, mas ficará para a próxima.

5º Dia – Blizzard Beach (16/05)
Esse foi um dia para descansar. Acordamos tarde e fomos para o Blizzard Beach por volta das 11 da manhã. O detalhe é que o parque fica a apenas alguns minutos do hotel All Star Music então chegamos bem rápido. Adoramos as piscinas e nos divertimos bastante no Lazy River. Minha filha adorou a área infantil com pequenos tobogãs e também toda a ambientação de montanha de neve que o parque possui.

No Blizzard Beach

Ficamos no parque até o fechamento. Naquele dia o parque fechou as 17:30 e a minha idéia era ir até o Magic Kingdom pois era um dia com Extra Magical Hours noturnas e então poderíamos repetir alguma atração que minha filha tivesse vontade e até mesmo assistir ao desfile noturno (que não assistimos no dia do Magic Kingdom por estar no Royal Table) porém minha filha não se empolgou muito com a idéia e percebi nela aquele olhar de cansaço característico de crianças que brincam o dia inteiro na piscina. Sendo assim voltamos do parque para o hotel.

6º Dia – Animal Kingdom (17/05)
Chegamos no parque por volta das 9:30 da manhã e fomos em direção à arvore da vida para tirar algumas fotos. Achei o ambiente do parque muito legal e foi um dia de parque bem tranqüilo, apesar de ser domingo e estar bem cheio. Nosso roteiro foi o seguinte:

  • Fotos em frente da Arvore da Vida;
  • Festival do Rei Leão – Excelente show. Eu sou daqueles que assistiu o filme infinitas vezes ainda na época do VHS, então foi bem emocionante a apresentação.
  • Kilimanjaro Safaris (FP+) – Infelizmente não vimos o leão, mas em compensação as girafas passearam bem perto do nosso caminhão e minha filha adorou porque fazem parte de seus animais preferidos.
  • Pangani Forest Exploration Trail – gostamos bastante dessa trilha e no final tinha um filhotinho de gorila que era a coisa mais linda.
  • Maharajah Jungle Trek
  • Fotos com a Margarida.

pai-e-filha-viagem-dianey-orlando-nilton-ak

  • Almoço no Rainforest Café – Não sei dizer bem porquê, mas eu gostei mais do que do T-REX. O que achei engraçado é que o tema do restaurante é floresta e o destaque do menu são comidas típicas brasileiras como por exemplo feijoada…o que será que querem dizer com isso? Kkk
  • Encontramos com o Dug e o Russel do filme UP – altas aventuras e tiramos mais fotos.
  • Musical Procurando Nemo – Nós adoramos! É uma apresentação muito bem executada e minha filha ficou encantada com o final da apresentação.
  • The Boneyard – “gastamos” um bom tempo nesse playground. Minha filha amou.
  • Mais fotos, dessa vez com o Pateta e o pluto devidamente caracterizados com roupa de safári.
  • It’s Tough To Be a Bug (FP+) – Amei a interatividade dessa atração. Minha filha estava com um pouco de medo no começo, mas no final já estava se divertindo bastante.

Infelizmente não consegui encaixar o Flights of Wonder na programação e quando iríamos no Kali River Rapids utilizar um FP+ começou a chover. A chuva até que não demorou muito pra passar mas aí já tinha dado a hora do nossa reserva no Rainforest Café, então essas duas ficarão para a próxima. Voltamos para o hotel por volta das 18:30.

7º Dia – Hollywood Studios (18/05)
Esse foi o último dia de parques Disney da nossa viagem. Chegamos ao parque por volta das 10 horas da manhã. Tiramos algumas fotos na entrada e seguimos para o nosso roteiro:

  • Toy Story Mania (FP+) – Não é uma das atrações mais concorridas por acaso. Achamos sensacional desde a ambientação até a atração em si. Extremamente divertida e empolgante.
  • Fotos com a princesa Sofia e com Jake, o pirata.
  • Na área do The Magic of Disney Animation, que fechou recentemente, conseguimos tirar fotos com o Sr. Incrível. Queríamos muito tirar fotos com o Baymax do filme Big Hero 6 mas a fila estava demorando 50 minutos, então desistimos.
  • Disney Junior Live on Stage – Um dos shows em que a minha filha mais ficou animada. Ela adora os personagens do Canal Disney Junior então ficou maravilhada com as músicas e com o show como um todo.
  • Assistimos à apresentação do Jedi Training Academy e achei muito legal a interação das crianças com o Darth Vader. O curioso é que minha filha odeia qualquer tipo de vilão e ficava gritando “Boboca….bobão…” para o Darth Vader enquanto assistíamos a apresentação.
  • Star Tours (FP+) – Como um bom nerd que sou, foi uma satisfação imensa ir nessa atração. Mal posso esperar pela nova área com o tema Star Wars que será inaugurada nos próximos anos.
  • Voyage of the Little Mermaid – A Ariel é uma das princesas favoritas da minha filha então ela ficou encantada. Confesso que cochilei durante alguns momentos da apresentação rsrs
  • Playground do filme “Querida, encolhi as crianças”.
  • Muppets Vision 3D (FP+) – Como o show era traduzido através do Ears to the World, minha filha amou, pois entendeu a história e todas as piadas! Achei o uso do 3D bem interessante.
  • Jedi Mickey’s Star Wars Dine at Hollywood and Vine – O nome já diz tudo. Essa foi a refeição com personagens que eu mais gostei e a que mais estava ansioso. Como era o mês em que estava ocorrendo o “Star Wars Weekends” o restaurante Hollywood and Vine “presenteia” os nerds com esse evento. Fiquei muito feliz com toda a experiência….tirei fotos com todos os personagens com caracterização do universo Star Wars e pirei nas sobremesas tematizadas. Fala sério, que nerd que se preze não enlouquece vendo um bolo decorado com uma Millenium Falcon? E o que dizer de um cupcake do Darth Vader? De quebra essa refeição ainda nos deu direito à um lugar VIP para o show de encerramento Fantasmic. Perfeito!

Mickey Star Wars

  • One Man’s Dream – Gostei bastante de conhecer um pouco mais da história de como todo esse universo ganhou vida. Minha filha também adorou, pois o Ears to the World também pode ser usado nesse ambiente.
  • The Great Movie Ride – Outra atração que para a minha filha fez toda a diferença utilizar o Ears to the World. Achei todo o desenrolar da atração bem interessante pois adoro cinema, em especial alguns filmes clássicos que são citados.
  • Fantasmic – Não poderíamos encerrar a parte “Disney” de nossa viagem de uma maneira melhor. O show é espetacular do começo ao fim. A maneira como a atuação dos personagens é sincronizada com os fogos, música e demais efeitos especiais é de cair o queixo. Um dos pontos mais altos da viagem toda, sem dúvida.

Com isso encerramos os 4 parques Disney e a primeira semana de nossa estadia na cidade da diversão.

8º Dia – Troca de hotel e complexo I-360 (19/5)
Conforme comentei no início desse relato a solução logística por não poder alugar carro foi dividir a estadia em dois hotéis. Sendo assim foi com um misto de pesar no coração por estarmos “saindo da Disney” e ansiedade pelo que ainda estava por vir que fizemos checkout no All Star Music. Pegamos um táxi por volta das 11:30 da manhã em direção ao hotel em que ficamos hospedados na segunda semana. O Comfort Inn Suites fica localizado na Canada Ave, paralela à International Drive e o valor total da corrida mais gorjeta foi 40 dólares.

Quando estava planejando a viagem, notei que nesse dia nós teríamos um problema de horário na troca de hotéis pois o checkin no Comfort Inn seria apenas às 15hs (Chegaríamos lá por volta de 12:00). Em contato com o hotel fui informado que poderíamos deixar nossas malas no depósito deles e voltar mais tarde para realizar o check-in. Com esse problema resolvido, restava saber o que faríamos com o restante das horas livres desse dia.

Aqui entra o fator estratégico da escolha do hotel Comfort Inn Suites. Uma das características mais interessantes dele é ficar a 15 minutos de caminhada do recém inaugurado complexo I-360. Com isso, após deixarmos nossas malas no depósito do hotel fomos direto conhecer as novas atrações.

  • Museu de Cera Madame Tussauds – Confesso que não tinha muita expectativa com relação ao museu. Porém nossa visita foi divertidíssima! Além das estátuas serem impressionantes e valerem por si só os ingressos, minha filha colocou para fora todo o seu lado “presepeiro” e fez poses incríveis para tirarmos centenas de fotos. Nós nos divertimos muito e recomendo fortemente a visita ao museu.

pai-e-filha-viagem-dianey-orlando-nilton-madame

  • Aquário Sea Life – Das três atrações do complexo, essa na minha opinião é a mais fraca. O aquário é bem bonito e tem alguns tanques bem interessantes mas na minha opinião não tem nada que poderia ser classificado como imperdível, mas acho que aqui o que conta é o gosto pessoal de cada um. Além disso o ingresso “combo” com as três atrações é bem em conta na minha opinião.
  • Orlando Eye – Carro chefe do complexo, acabou sendo uma pequena frustração nesse dia. Algum problema técnico fez com que o funcionamento da atração fosse interrompido e nesse dia não foi possível utilizá-la. Conversei com os funcionários e garantiram que os nossos ingressos (que tinham data de utilização específica) poderiam ser utilizados em outra data sem problema, ou se eu preferisse podia ter o valor referente à atração estornado. Como ainda tinha uma semana de estadia decidi permanecer com o ingresso e voltar em outra data.

O complexo dispõe de uma praça de alimentação “estilo shopping”, sem muitas opções, mas para as nossas necessidades foi o suficiente. Jantamos por lá mesmo. Além disso, existem algumas opções de restaurantes no entorno do complexo, como Outback por exemplo. Voltamos para o hotel e fizemos o checkin por volta das 20hs.

9º Dia – Universal Studios e Islands of Adventure – Atrações (20/05)
Separei dois dias para visitar os parques da Universal. Como vi que existiam várias opções de playgrounds e atividades infantis para a minha filha em ambos os parques combinei com a pequena que no primeiro dia nós iríamos focar nas atrações que eu queria muito ir. No segundo dia faríamos todos os playgrounds e demais atividades infantis. Com isso não precisaríamos fazer nada correndo.

Tomamos café no hotel (já incluso na diária) e utilizamos o transporte que o próprio hotel fornece para a Universal. Na verdade, percebi que se trata de um tipo de parceria entre os hotéis, para utilizar a mesma “linha” de ônibus. O ônibus passou em três outros hotéis antes de seguir para os parques da Universal. Para mim, que estou acostumado a utilizar transporte público, sem problema com relação à isso. Chegamos no parque pouco tempo após a abertura. Tiramos algumas fotos na entrada em frente ao globo da Universal e já seguimos para as atrações, iniciando pelo Universal Studios na seqüência abaixo:

  • Despicable Me – Foi a nossa primeira atração do dia e adoramos! É muito divertida e além disso no final tem uma sala estilo discoteca onde se pode tirar fotos com dois Minions e a minha filha amou!
  • Shrek 4D – Gostamos muito e o que mais me chamou a atenção foi a ambientação da atração como um todo. Existe uma ante-sala antes da atração em si onde existe uma interação com os participantes que achei divertido também. Na saída da atração, tiramos fotos com o Shrek, a Fiona e o Burro.
  • Desfile da turma do Bob Esponja – Na entrada do parque havia retirado um mapa contendo os horários e o local da aparição dos personagens ao longo do dia e com isso conseguimos assistir à aparição de alguns personagens. Achei bem interessante porque eles aparecem em carros alegóricos e em determinado momento descem para tirar fotos com as crianças. Os dançarinos “coadjuvantes” também interagem bastante com o público. Achei bem legal.

pai-e-filha-viagem-dianey-orlando-nilton-bom-esponja

  • Foto com o Delorean – Sim, pra mim foi uma atração a parte! Muita emoção em ver o bom e velho Delorean de perto!
  • Kang & Kodos Twril ‘n’ Hurl – Brinquedo estilo Dumbo do Magic Kingdom.
  • King Cross – apenas tiramos algumas fotos em frente ao Knight Bus. Olhei no aplicativo da Universal e vi que a fila para utilizar o Hogwarts Express estava demorando mais de uma hora. Preferi deixar o Beco Diagonal e a Hogwarts Express para o dia seguinte.
  • Desfile com a turma do filme HOP.
  • Transformers The Ride 3D – Achei essa atração incrível! E olha que eu nem sou tão fã assim de Transformers. Efeitos de primeira!

Por volta das 14:30 voltamos então para a entrada do parque e nos dirigimos até o Islands of Adventure.

  • The Amazing adventures of Spider Man – Não é a toa que essa atração é tão famosa. Os efeitos especiais são incríveis e dá vontade de ir várias vezes. Essa era a única atração imperdível para mim, então “pulamos” todo o resto da ilha da Marvel.
  • Jurassic Park – Passamos direto pela área do Toon Lagoon porque minha filha não quis ir em nenhuma das atrações para minha surpresa. Porém ficamos um bom tempo no Jurassic Park Discovery Center. Ela se divertiu bastante com os Dinossauros animatrônicos que existem lá.
  • Castelo de Hogwarts – Não poderia ir com a minha filha na atração do Harry Potter por restrições de altura e de qualquer forma acho que aquele dia ela já estava “de saco cheio” de pegar fila. Porém conseguimos conhecer o castelo por dentro em uma espécie de mini-tour que é permitido para aqueles que não vão utilizar a atração. A ambientação é espetacular e fiquei imaginando o quão fantástico a atração deve ser. A pequena também não quis ir na Flight of Hippogriff. Tiramos muitas fotos na região de Hogsmeade e em frente ao castelo – Que capricho a Universal teve na construção dessa área…realmente um presente para os fãs.

Por volta das 18:30 finalizamos o nosso dia almoçando/jantando no Café 4, na ilha Marvel pois durante o dia não havíamos parado para almoçar. OBS: Não pensem que sou um pai irresponsável…rsrs. Minha filha é daquelas crianças que resistem bastante à idéia de parar de brincar para comer, então para evitar o stress desnecessário minha estratégia em alguns dias foi deixá-la pedir para comer sem estabelecer um horário. Obviamente não deixava de dar bastante água e sempre fazia com que ela comesse alguma coisa entre as refeições, tipo biscoitos, frutas, etc.

pai-e-filha-viagem-dianey-orlando-nilton-delorean

Mais uma vez fizemos muito mais coisas do que havia planejado, pois conseguimos fazer as atrações principais do meu roteiro nos dois parques em um dia só. Obviamente o fato de não ir em nenhuma montanha russa e atrações concorridas da área do Harry Potter contribui bastante para isso.

10º Dia – Universal Studios e Islands of Adventure – Playgrounds e Shows infantis (21/05)
Conforme disse anteriormente separei o segundo dia de visita aos parques da Universal para que minha filha pudesse aproveitar os playgrounds e demais áreas infantis e assistir aos shows infantis disponíveis nos parques.

Chegamos por volta das 10 horas nos parques utilizando novamente o ônibus disponibilizado pelo hotel. Dessa vez iniciamos pelo parque Islands of Adventure e a área destinada aos personagens do Dr. Seuss. Minha filha conhece o personagem Gatola da Cartola e principalmente o Lorax por causa do filme e adorou tudo o que vimos. Fizemos as atrações na seguinte ordem:

  • The High in the Sky Seuss Trolley – Depois da montanha russa dos 7 anões do Magic Kingdom foi a única “montanha russa” que minha filha quis ir. Essa é bem mais tranqüila e até “boba” para os adultos. Porém gostei da vista que ela proporciona.
  • Caro-Seuss-el – Mais um dos inúmeros carrosséis que nós fomos na viagem.
  • The Cat in the Hat – Achei bem parecida com a atração do Ursinho Pooh do Magic Kingdom, só que com a temática do Gatola da Cartola;
  • Show com the Lorax – Um show curto e bem simples mas que minha filha gostou muito! O bom é que os personagens posam para fotos e autógrafos com as crianças ao final do show.

Após isso fomos para a área da Marvel e conseguimos assistir a uma aparição que os heróis realizam com motos. Minha filha quis tirar fotos com a Vampira e com a tempestade. Como minha filha havia adorado a área do Jurassic Park Discovery Center no dia anterior fomos até lá novamente e ficamos mais algum tempo para que ela pudesse brincar novamente.

Após isso nos dirigimos para a área do Harry Potter para pegar o Hogwarts Express (nossos ingressos possuíam a opção park-to-park) e aconteceu algo bem inusitado enquanto esperávamos na fila dessa atração. Havia uma família dinamarquesa na nossa frente na fila – um casal e duas meninas – e as meninas começaram a interagir com a minha filha porque ela estava com um tablet brincando em um aplicativo do Lego.

Quando o dinamarquês reparou que era um jogo Lego começou a falar comigo todo entusiasmado, explicando que eles vinham do lugar onde a empresa Lego foi criada (confesso que não sabia que era uma empresa dinamarquesa) e então conversamos um bom tempo sobre lego, que sempre achei um brinquedo muito interessante, apesar de nunca ter comprado devido aos preços praticados no Brasil. O papo foi tão bom que mesmo com o aplicativo mostrando uma espera de 45 minutos para a atração, nem vimos o tempo passar.

Ah sim, a atração em si é espetacular! Rsrs. Efeitos de primeira e uma ambientação sensacional. Nos despedimos dos dinamarqueses (uma coincidência incrível foi o fato de nos colocarem na mesma cabine dentro do trem!) e saímos no Beco Diagonal. Já tinha achado a área do Castelo de Hogwarts sensacional e achei o beco diagonal ainda melhor. É perceptível a preocupação com cada detalhe e a gente se sente de fato dentro dos universo de Harry Potter.

Passamos na Olivanders e para nossa sorte chegamos bem na hora em que estava para começar uma apresentação onde o Harry escolhe a sua varinha no filme. O ator que representa o Olivanders é fantástico e toda a apresentação é muito bem conduzida. Compramos uma varinha para minha filha pois ela apesar de praticamente não conhecer o Universo de Harry potter ficou tomada pelo clima do filme. Partimos para a área infantil Woodpecker’s Kidzone:

  • A Day in the Park with Barney – Minha filha brincou bastante no pequeno playground existente ao lado do teatro onde é realizado o show e por volta das 15:00 assistimos ao show do Barney e sua turma. Imperdível para quem está com crianças pequenas.
  • Curious George comes to Town – Outra atração imperdível para quem tem crianças. É um playground onde o objetivo é bem claro: deixar a criançada encharcada! É água para todo o lado e recomendo inclusive levar uma muda extra de roupa para a criança ou ainda, roupa de banho mesmo tipo maiô, sunga, etc. Minha filha simplesmente adorou!
  • Fievel’s Playland – Mais um playground para a criançada, porém nesse não ficamos muito tempo. Acho que minha filha não curtiu tanto.
  • E.T. Adventure – Apesar de minha filha ter gostado quem quis ir nessa atração mesmo fui eu. Achei a atração bem mais nostálgica do que divertida mas não poderia ter deixado de ir de jeito nenhum.
  • Assistimos então ao desfile Universal’s Superstar Parade que nesse dia aconteceu às 17hs e minha filha gostou bastante. Nesse desfile estavam os personagens do filme Meu Malvado Favorito, Dora aventureira, Bob esponja e Hop.

Encerramos nosso dia novamente com uma refeição, só que dessa vez comemos no Classic Monsters Café. Minha filha ficou um pouco assustada no começo pois a decoração é toda baseada em monstros clássicos, mas depois de um tempo ela nem ligou.
Voltamos para o hotel por volta das 19:30.

11º Dia – Discovery Cove (22/05)
Após alguns relatos de amigos e de ter lido o roteiro no Vai pra Disney havia ficado bem curioso com relação ao Discovery Cove e por isso fiz questão de incluí-lo em nossa viagem. O detalhe aqui é que minha filha ainda não havia completado 6 anos no dia de nossa visita então não foi possível realizar a experiência de interação com os golfinhos. Sei que essa é a grande atração do Discovery Cove mas eu realmente queria visitá-lo e posso afirmar que não me arrependi. Tivemos um dia realmente maravilhoso podendo descansar da correria dos parques.

Acordamos cedo e pegamos um táxi porque queria aproveitar o dia o máximo possível. O valor da corrida foi 20 dólares incluída a gorjeta. Chegamos ao resort (acho que não é correto classificá-lo como parque) por volta das 9hs e tomamos um farto e delicioso café da manhã, aliás, como todas as refeições são inclusas no ingresso nós realmente nos fartamos o dia inteiro…rsrs

pai-e-filha-viagem-dianey-orlando-nilton-discovery

No período da manhã ficamos na área do Grand Reef, que é uma “piscina” onde podemos nadar com peixes e raias bem grandes. Apesar da roupa de neoprene já inclusa no ingresso para utilização durante a visita e do calor absurdo que fazia no dia, demorou um tempo para conseguirmos nos acostumar com a temperatura da água, que é mantida bem gelada para o bem estar dos animais. Minha filha fez uma festa danada com os peixes e raias que ficam passeando na piscina usando o snorkel e máscara de mergulho, que também estão inclusos no ingresso.

No período da tarde ficamos no Wind Away River que é uma espécie de rio com uma correnteza bem fraquinha e onde não existem animais. Eu e minha filha ficamos brincando a tarde inteira entre um sorvete e outro (Já disse que estava tudo incluso no ingresso, certo?). Em alguns momentos ficamos estirados nas espreguiçadeiras apenas curtindo uma sombra e descansando.

Enfim, apesar de caro acho que é uma experiência que vale muito a pena porque como puderam notar tivemos um dia bastante prazeroso e relaxante. Se pudéssemos realizar a interação com os golfinhos, seria ainda melhor. O detalhe aqui é que o nosso ingresso dava direito também a visitarmos o Sea World e o Aquática durante um período de 15 dias consecutivos. Acho importante mencionar isso porque dependendo do orçamento da viagem esse custo-benefício pode ser interessante.

I-Trolley: para voltar para o hotel utilizamos pela primeira vez o I-Trolley. Pela manhã havia comprado os tickets que davam direito à utilização ilimitada por 5 dias a um valor total de de U$ 18,00 ( para duas pessoas). Comprei os tickets na recepção do próprio hotel. Achei a experiência de andar no I-Trolley bem tranquila. Ao se aproximar de cada parada uma mensagem no sistema interno de som vai indicando o número do ponto em questão, e aí é só ir acompanhando o mapa disponibilizado dentro do Trolley em formato de folder para saber onde descer. Obviamente havia pesquisado o trajeto previamente e sabia as paradas onde precisaríamos subir e saltar do trolley.

Não esperamos mais de 10 minutos no ponto. O trolley que pegamos estava bem vazio e acredito que demorou cerca de meia hora para chegarmos ao ponto em que precisaríamos descer (haviam sido 15 minutos de táxi no máximo para ir). Aqui vale lembrar que obviamente ele não nos deixou na porta do hotel, e sim em uma parada da International Drive e caminhamos entre 5 a 10 minutos para chegar no hotel. Por não ter carro, eu ando muito a pé e de transporte público, mas acho que qualquer pessoa poderia utilizar o I-Trolley tranquilamente.

12º Dia – Legoland (23/05)
Depois do Magic Kingdom, esse sem dúvida era o parque mais aguardado pela minha filha. Ela ficava perguntando todos os dias “Papai, hoje é o dia do parque do Lego?”, “Papai, quando vamos ir no parque do Lego?”rsrs

Acordamos cedo e após tomar café fomos caminhando até o complexo I-360 (lembram-se da localização estratégica do hotel?) pois é de lá que sai o ônibus “oficial” para o parque Legoland. Para garantir a disponibilidade, adquiri o ingresso do ônibus com cerca de dois meses de antecedência através do próprio site do parque. Achei o preço extremamente barato: 5 dólares por pessoa. Lembrando que o preço de um transfer pode chegar a até 70 dólares pelo que pesquisei! O ônibus saiu por volta das 9 horas da manhã e deve ter demorado em torno de 40 a 50 minutos para chegar no parque.

Legoland

Apesar das atrações serem 100% voltadas para as crianças por incrível que pareça minha filha não quis ir em praticamente nenhum “brinquedo”. Ela queria mesmo era brincar de lego e tirar foto com todas as estátuas Lego que encontramos.
Na parte da manhã, ficamos um tempo na área Mini Land USA, que recria grandes cartões postais americanos no estilo Lego. O que mais me chamou a atenção nessa área do parque sem dúvida foi a parte destinada a Star Wars….meu Deus com eu queria ter todas aquelas miniaturas! Quem é fã consegue identificar cada uma das cenas ali retratadas com detalhes interessantíssimos.

Após isso fomos para a região do Discovery Center e minha filha adorou a área Imagination Zone, onde entre outras atividades é possível criar estruturas Lego e “testar” a resistência das mesmas em uma espécie de simulador de terremotos. Achei bem interessante. Outra coisa bem legal nessa área é que as crianças podem montar carrinhos Lego e apostar corrida uns com os outros. Infelizmente a área Heartlake City destinada para meninas ainda não havia sido inaugurada (a previsão era para o início do verão) . Com certeza minha filha teria aproveitado bastante essa nova área do parque.

Almoçamos no Burger Kitchen (fast food) e nos dirigimos para o parque aquático que fica meio “escondido” bem ao fundo do parque. O detalhe é que para conseguirmos entrar, mesmo já tendo os ingressos pegamos uma fila de uns 25 minutos. Não sei se porque estava muito quente ou se era devido ao fato de ser o final de semana do Memorial Day, mas essa área estava entupida de gente.

Independente disso minha filha aproveitou bastante essa área, pois assim como as demais atrações, as piscinas são totalmente pensadas para crianças. Existe inclusive uma espécie de playground com água esguichando para todo lado e vi muitos marmanjos se divertindo bastante junto com a criançada. Eu inclusive! Rsrs A tarde passou e a gente nem se deu conta. No final do dia passamos a loja principal que existe perto da entrada do parque e foi difícil me controlar. Quem acompanha os preços praticados pelas lojas brasileiras nos produtos Lego sabe que uma oportunidade dessas não se pode deixar passar…Tive que me segurar para não gastar mais do que podia…rsrs

Pegamos o ônibus de volta ao parque às 19:30 e por volta de 20:30 estávamos desembarcando novamente no complexo I-360.
Orlando Eye. Lembram-se que não conseguimos conhecer a Orlando Eye no dia marcado? Como já estávamos por lá, decidi que seria o momento ideal para conhecer a atração pois a viagem já estava acabando.

pai-e-filha-viagem-dianey-orlando-nilton-eye

Já havia anoitecido quando entramos na atração. Gostei da experiência como um todo e achei a vista bem bonita. Minha filha não deu muita bola, mas ela merece um desconto pois tivemos um dia de parque bem cheio e ela já estava bem cansada. Jantamos na área de alimentação do complexo e voltamos caminhando para o hotel.

13º Dia – Sea World (24/05)
Ultimo parque de diversões de nossa viagem. Fomos até o parque utilizando o I-Trolley e deve ter demorado entre 40 e 50 minutos para chegar até o parque. Isso porque apesar de ser domingo de manhã em determinado momento a International Drive estava com um trânsito que me lembrou as marginais de São Paulo..rsrs

Chegamos no parque por volta das 10:30 da manhã e a primeira coisa que fiz foi retirar um mapa na entrada com o horários das apresentações para planejar o dia da melhor maneira possível. Nosso roteiro foi o seguinte:

  • Dolphin Cove – Espécie de tanque com golfinhos onde é possível observá-los com certa proximidade.
  • One Ocean – Famoso e imperdível show das baleias. Assistimos a primeira apresentação do dia e adoramos! Nesse e nos outros shows do parque o que mais me chamou a atenção foi a forma com que os bichos interagem com os treinadores e com a platéia. A dica aqui é: quem não se quer se molhar deve ficar bem distante das primeiras fileiras porque as baleias propositalmente jogam muita água na platéia.
  • Wild Artic – Nessa atração demos uma sorte tremenda! A primeira parte consiste em um simulador de helicóptero que é responsável por “nos levar” até a área da expedição. Em seguida a atração consiste em um passeio em uma área com tanques e alguns ambientes onde podemos avistar alguns tipos de animais polares. O fato é que a primeira parte da atração deu uma “engasgada” na nossa vez e tivemos que sair do simulador sem completá-lo e ir direto para a área da expedição. Como “Prêmio de consolação” ganhamos um ticket que nos permitia utilizar qualquer atração do parque sem pegar fila!

pai-e-filha-viagem-dianey-orlando-nilton-epcot

  • Blue Horizons – Eu fiquei realmente muito impressionado com esse show. São diversos golfinhos, treinadores, acrobatas e até mesmo pássaros que fazem do show uma experiência única e indescritível. No número final do show me senti assistindo novamente ao encerramento do espetáculo La Nouba no Cirque du Soleil (guardadas as devidas proporções, obviamente), tamanha a sincronia entre todos os elementos envolvidos.
  • Antarctica: Empire of the Penguin – Estava muito preocupado com a fila dessa atração pois durante o dia todo o tempo de espera não abaixava de 1 hora e 30 minutos! Mas aí graças a aquele “problema” no Wild Artic pudemos pular a fila com o ticket “coringa” que recebemos. Fala sério, tenho certeza que todos queriam ter esse tipo de problema no Wild Artic rsrs. Escolhemos a opção mais light na primeira parte devido à minha filha, mas mesmo assim achamos divertido. Minha filha adorou principalmente o ambiente com os pingüins. São centenas de pingüins dos mais variados tamanhos e estilos. É possível vê-los nadando, brincando sobre o gelo, mergulhando…enfim, achei muito interessante!

Dica importante: se você tem pouca tolerância ao frio, não deixe de levar um agasalho para essa atração! Eu havia lido sobre isso e levei um casaco para minha filha usar e foi graças a isso conseguimos curtir o ambiente dos pingüins tranquilamente, pelo tempo que achamos necessário. Vi várias mulheres, pessoas mais idosas ou com crianças pequenas com roupas leves (no dia estava um calor de rachar) saindo sem passar nem mesmo 2 minutos observando os pingüins por causa do frio, e isso após 1 hora e meia de fila!

  • Playground – Só para não perder o costume passamos um bom tempo na área de playground no parque com minha filha indo praticamente em todos os brinquedos.
  • Sea Lion & Other Theater – Não tinha nenhuma expectativa com relação à essa atração e fui surpreendido de maneira positiva. Achei bem engraçada a apresentação e minha filha também gostou. Apesar das piadas dos treinadores em inglês, as cenas com os animais utilizam bastante mímica e pantomima, então a diversão é certa. Me surpreendeu o que os leões marinhos treinados são capazes de fazer.

E assim encerramos o último dia de parque da nossa viagem. Muita felicidade por ter visitado todos os parques que havia planejado.

14º Dia – Compras – (25/05)
Se vocês tiveram paciência de ler esse relato até aqui devem ter percebido que até esse momento não tivemos nenhum dia dedicado às compras. Isso se deve à vários fatores:

  • Não ligo muito para as famosas roupas de marca que a galera costuma pirar;
  • Câmbio completamente desfavorável;
  • As coisas mais específicas que queria comprar já havia comprado na Amazon e foi entregue no All Star Music;

No final das contas, o motivo e objetivo principal da viagem foi levar minha filha para conhecer a Disney, e ponto final rsrs. Mas como no dia 25/05 foi o Memorial Day (feriado americano não me pergunte porquê..rsrs) segui a orientação do Vai pra Disney? e não agendei nenhum parque para evitar a lotação resultante dos feriados.

Porém acho que se não fosse em nenhum Outlet durante a viagem haveria alguma mobilização popular e viriam atrás de mim com tochas durante a noite para me punirem por esse sacrilégio. Sendo assim nesse dia utilizamos o I-Trolley para ir até o Premium Outlet da International Drive. Passamos na loja da Victoria Secret e comprei ums cremes para a mulherada de casa (esposa, mãe, cunhadas, etc) e também fomos até a GAP comprar alguns itens encomendados pelo meu irmão.

Depois disso fomos de táxi até a loja Toys’r Us. O custo da viagem foi de 20 dólares com gorjeta. Aí sim podemos dizer que o dia de compras fez valer o seu “nome”. É inacreditável a diferença de preço de brinquedos nos Estados Unidos para os valores praticados no Brasil. Um exemplo claro são os bonecos de super herói da Marvel que aqui são vendidos a cerca de 90 reais e encontramos lá por 10 dólares.

Comprei presentes para os meus filhos para o ano inteiro (dia das crianças, aniversário, Natal, etc). Recomendo fortemente a visita a essa loja para quem quer comprar brinquedos. A variedade é enorme! Passamos no Florida Mall (que fica bem próximo da loja Toys’r Us) e passeamos um pouco, além de fazer uma refeição na praça de alimentação. No final da tarde voltamos para o hotel novamente utilizando táxi. O valor entre o Florida Mall e o hotel ficou em 25 dólares já com a gorjeta.

15º Dia – Viagem de volta (26/05)
Chegou enfim o dia de voltarmos para casa. Fizemos checkout no Comfort inn por volta das 11 horas da manhã. Como nosso vôo só sairia as 17:30 deixamos as malas no depósito do hotel e fomos almoçar no maior Mc Donalds do mundo, que fica na international drive a apenas 10 minutos de caminhada do hotel.

Tenho que admitir que esperava bem mais desse Mc Donalds porque a experiência toda foi muito ruim. O atendimento foi péssimo e o clima todo do lugar é bem estranho. No segundo andar tem uma área com vários fliperamas, que me pareceu meio decadente. O que mais achei estranho é que dentro do prédio havia um outro restaurante estilo buffet com opção de massas e algumas outras coisas. Enfim, bem diferente dos ambientes “clean” que nós vemos por aqui. Só recomendo a visita se estiver com muita curiosidade porque nós não gostamos.

Pegamos um táxi por volta das 13:00 e fomos para o aeroporto. O valor foi de 45 dólares com gorjeta. O nosso vôo saiu de Orlando com um atraso de cerca de uma hora porque segundo o comandante houve algum problema com alguma documentação do vôo. Acredito que esse tenha sido o maior imprevisto da viagem toda e pelos relatos que escuto e leio tenho a certeza que tivemos uma viagem muito abençoada por Deus!

Algumas considerações finais:

  • Viajando com criança: Bom, com certeza vocês devem ter percebido que a viagem foi toda programada pensando na minha filha. Inclusive deixei de fazer algumas coisas que tinha vontade pois sabia que no mínimo não seria divertido para ela. Outra dica interessante que li no Vai pra Disney e acho legal ressaltar é que muitas vezes deixei minha filha “passar dos limites” no quesito comportamento.
    Obviamente não foi nada muito sério e estava sempre chamando a sua atenção. Mas só quando chegamos aqui, conversei com ela e apliquei as “punições” necessárias, pois acho que não seria inteligente privá-la de nada durante a viagem. Dica: levamos um tablet na viagem e tanto no avião quanto nas filas das atrações ele foi um item indispensável para entreter a pequena. Com o Wi-fi dos hotéis ela fazia a festa nos joguinhos…rsrs
  • Hospedagem na Disney: Sinceramente recomendo a todos que considerem seriamente se hospedar dentro da Disney pois acho que o custo benefício é muito bom. Após sair dos parques, nada melhor do que manter o “clima Disney” principalmente para quem está com crianças. Dica: os hotéis da Disney não cobram por encomendas recebidas. Porém , apesar de colocar no endereço de entrega a minha data estimada de check-in, os pacotes só foram entregues no meu quarto quando fui até a recepção munido dos códigos de rastreamento.
  • Disney Dinning Plan: utilizar o Dinning Plan me deu uma sensação “all inclusive” que gostei muito. Pude fazer algumas refeições com personagens e essas interações são sem dúvida momentos memoráveis da viagem. Com o Dinning Plan você não precisa ficar se preocupando em quanto será a conta e pode se dedicar a curtir o momento. Dica: nas noites em que jantamos no All Star Music, escolhíamos nossa refeição e pegávamos uma sobremesa (geralmente um croissaint, ou outro tipo de pão doce) e uma bebida (geralmente suco de laranja naquelas garrafinhas). Como podíamos utilizar a caneca que ganhamos no checkin do hotel para beber a vontade e só a refeição já era suficiente para nos saciar (não temos o costume de comer sobremesa no jantar), levávamos a sobremesa e a bebida para o quarto e dessa forma tínhamos o café da manhã do dia seguinte “garantido”. Com isso, mesmo com apenas dois créditos de refeição por dia, tínhamos as três refeições do dia “incluídas” no Dinning Plan.
  • Memory Maker: Para mim foi indispensável! Como estava só eu e minha pequena sem o Memory Maker teríamos que ficar pedindo para outras pessoas tirar fotos de nós juntos e independente da boa vontade das pessoas sempre tem a possibilidade de pedir para alguém que não é lá muito bom em enquadramento e tal…além disso a qualidade das fotos tiradas pelos fotógrafos da Disney é ótima. Quanto mais pessoas no grupo, melhor o custo benefício. Se não fosse o câmbio desfavorável, teria feito o pacote de fotos em todos os outros parques “não-disney” que visitamos.
  • Hotel Comfort Inn: Aqui tenho que confessar que nessa viagem foi a primeira vez que fiquei hospedado em um hotel. Então a única coisa que posso dizer do Comfort Inn é que gostei muito de tudo, principalmente do atendimento. Além do gerente geral ser brasileiro, um dos recepcionistas também é brasileiro e o outro que não é, se esforça muito para se comunicar na nossa língua. Precisei de ajuda em algumas situações específicas e sempre fui muito bem atendido durante a minha estadia. Além disso a localização do hotel é muito privilegiada na minha opinião como puderam notar no meu relato. Recomendo verificarem no Trip Advisor as avaliações do hotel pois como disse não tenho muito parâmetro de comparação. A minha experiência foi muito positiva.
  • Orlando sem carro: Sempre que comentava com quem já havia viajado para Orlando que estava indo com o objetivo de utilizar outros meios de transporte a resposta era sempre a mesma: Não dá…é tudo muito longe e você não vai conseguir ir nos parques, fazer compras, etc. Porém posso afirmar que com planejamento e boa vontade de ir atrás das informações é possível sim viajar par Orlando sem alugar carro. Obviamente não estou dizendo que é melhor não alugar carro pois a independência e mobilidade proporcionada por um automóvel está acima de qualquer opinião. Apenas gostaria de deixar claro que se existir alguém em situação similar à minha (sem habilitação) existem alternativas que podem ser levadas em consideração. Observem ainda que não gastei nem 300 dólares com táxi/I-Trolley durante a minha estadia.

O que ficou pra próxima:

  • Kennedy Space Center: Além de ter que me preparar com relação à logística, acho que não seria divertido para a minha filha;
  • Medieval Times: Teria que incluir no roteiro de algum dia mas achei que ficaria muito corrido;
  • Loja ACME superstore: Essa só os Nerds fortes entenderão. Gosto muito de action figures e existe uma mega loja situada na cidade de Longwood relativamente próxima a Orlando (40 minutos de carro por exemplo a partir do hotel Comfort Inn). A idéia era ir até lá de táxi/ trem mas novamente teria que deixar algum dia do roteiro muito corrido. Quem gosta de action figures sabe a diferença gigantesca dos preços praticados no Brasil e nos EUA. As vezes penso que foi bom não ir até lá…acho que meu cartão de crédito não daria conta…rsrs

E essa foi a nossa viagem. Espero que esse relato possa de alguma forma contribuir para quem está programando a sua viagem para a cidade da diversão. Gostaria de mais uma vez agradecer ao casal pelo empenho e qualidade do trabalho realizado no site. Sem dúvida sem a ajuda de vocês essa viagem não seria tão completa. Vai demorar um bom tempo para conseguir voltar para Orlando novamente, e dessa vez com a família toda. Mas espero que o site continue sendo fonte de informações e inspiração para a realização desse sonho que é conhecer a Disney. Que Deus continue abençoando vocês. Um abraço!

Se você assim como o Nilton tiver histórias para contar sobre sua viagem para Orlando, ou quiser registrar como foi a refeição em algum restaurante da cidade, compartilhar o seu roteiro, ou ainda relatar como foi a estadia no hotel escolhido, nos escreva mandando o seu texto, fotos e vídeos e eles poderão ser publicados aqui no Vai Pra Disney. O endereço é viagemdoleitor@vaipradisney.com (lembrem-se que dúvidas não serão respondidas por esse e-mail, por favor use as caixas de comentários do site).



O Vai Pra Disney é um blog independente e não é um canal mantido pela The Walt Disney Company. As informações contidas nesses sites representam a opinião de seus autores, colaboradores e usuários. Walt Disney World Resort, nomes e logos são marcas registradas da The Walt Disney Company.