Viagem do Leitor

Primeira vez na Disney, por Luiza

O Viagem do Leitor de hoje traz o relato da Luiza e do Jansen, um depoimento completíssimo e cheio de dicas da primeira viagem deles à Disney! Eles tiraram fotos incríveis e fizeram até um vídeo bem legal, que está no final do post.

Obrigado por compartilhar com a gente o relato, as fotos e o vídeo, Luiza! E espero que todos gostem da leitura 🙂

Primeira vez em Orlando, por Luiza Ogg

Saímos do Rio dia 07 de maio de 2017. Nosso embarque foi às 22h, pela Delta Airlines. O vôo foi tranquilo, dormimos depois de meio comprimido de dramin e claro, depois da jantinha, que por sinal estava até gostosinha. Acordamos com uma vista linda do sol se pondo. Tomamos nosso café da manhã e pousamos para escala em Atlanta e a tão temida imigração, que dispensa desespero.

Chegando nos EUA!

Desde que fizemos o visto nossas entrevistas são todas em dupla. Mesmo não sendo casados, eles consideram estarmos viajando juntos. E lá não foi diferente, nos chamaram em um guichê e perguntaram para onde íamos e quanto tempo íamos ficar. Só isso. E ainda bem, porque estávamos com pressa. Por ser um aeroporto muito grande e a nossa primeira viagem internacional, ficamos com medo de não dar tempo. Tivemos aproximadamente 40 minutos entre um vôo e outro e literalmente tivemos que correr. Mas deu tempo.

Dia 1 – Chegada e Disney Springs

Chegamos em Orlando por volta das 10:20 da manhã e já saímos do aeroporto com o carro da Hertz, que alugamos daqui do Brasil. Fomos direto para o nosso querido hotel Monumental Movieland. Foi um dos hotéis mais baratos que encontramos na International Drive e adoramos. Super atendeu as nossas necessidades. Estava sempre limpinho (sou alérgica e não tive problema nenhum com o carpete.

Deixávamos as camareiras entrarem em dias alternados porque não víamos necessidade da roupa de cama ser trocada todos os dias) seguro (minha prima passou dois dias com a gente neste hotel e no dia que saímos para a Universal ela esqueceu uma necessaire na pia no banheiro com 2 mil dólares. Ficamos aflitos mas no fim do dia estava tudo certo) e prático (tínhamos IHOP, Pizza Hut, Applebee’s, Subway e uma Walgreens na esquina, onde batíamos o ponto quase todos os dias quando não chegávamos tão mortos dos parques. Também estávamos a 5 minutinhos dos parques da Universal). Recomendo muito se você quer economizar e não liga muito para toalhas finas e levemente ásperas, rsrs. É um ponto fraco de lá, mas pelo precinho, está ótimo. Encare como uma esfoliação e curta o momento.

Nós chegamos lá por volta de 12h. Como nosso check-in era às 16h, não podíamos entrar no quarto, mas deixamos as malas na recepção e fomos para o Outlet almoçar. O que devíamos fazer? Escolher uma comidinha leve pós viagem e noite mal dormida. Mas com um Five Guys na nossa frente nem pensamos duas vezes. Depois de lá fomos para o Disney Springs trocar nossos vouchers pelos ingressos, que compramos aqui no Brasil com o VPD Travel. Aliás, essa foi uma dica aqui do blog e logo colocamos no nosso roteiro. Fomos muito bem atendidos no Guest Relations e rapidamente tínhamos em mãos nossos cartões com todos os ingressos, Fastpass e reservas que foram feitas ainda no Brasil no aplicativo My Disney Experience.

Passeio em Disney Springs no primeiro dia para trocar os ingressos!

Para completar, fomos em uma loja lá mesmo comprar nossas MagicBands e pronto! Era só aguardar o dia de estreia-las. Passeamos no Disney Springs até tarde e ficaríamos lá por muito mais tempo, mas ainda tínhamos que fazer nosso estoque de snacks, água, frutinhas e dar aquele tour no Walmart, claro.

Compramos uns itens digamos que peculiares para o café da manhã e para fazermos os lanches que levaríamos para os parques. Essa peculiaridade toda resultou em más escolhas, e aí vem a primeira lição: não deixar para fazer as compras tarde da noite, estando esgotado, depois de ter emendado viagem e ter passado o dia na rua, ainda mais se essa for sua primeira vez por lá. Quisemos aproveitar ao máximo as duas horas a mais que ganhamos com o fuso horário e nos ferramos com o Jet Lag. Mas tudo é festa em Orlando.

Dia 2: Universal Studios

Depois de um café da manhã não muito bom, seguimos para o Universal Studios. Eu e o Jansen planejamos começar a maratona dos parques pelo Magic Kingdom, mas fizemos uma mudança no roteiro para conciliar com a viagem dos meus primos, que nos acompanhariam nos dois parques da Universal (o Volcano ainda estava em construção).
Chegamos cedo no parque e as atrações já tinham um tempo considerável de fila. Fomos primeiro no Transformers, pegando 60 minutos de fila, mas que passou rápido. Não sei se por ser a primeira, mas essa foi uma das nossas atrações preferidas do parque. Me senti participando do que estava acontecendo nas cenas. Simplesmente incrível. Depois de outras atrações, paramos em um gramado para lanchar o sanduíche que tínhamos feito no hotel.


Para nossa surpresa, também não estava lá essas coisas. Mas seguimos felizes da vida. Comemos Dipping Dots, adoramos. E não podia faltar a rosquinha dos Simpsons também. Nossos ingressos eram Park to Park (também comprados aqui no VPD Travel), então pegamos o Hogwarts Express e fomos conhecer a parte do Harry Potter do Islands. Mesmo tendo um
segundo dia para conhecer só este parque, queríamos ter a experiência de fazer essa viagem de uma land pra outra. Voltamos para a Universal e ficamos até o parque fechar.

Sorvete no Beco Diagonal!

A essa altura eu já estava fraca, cansada e sentia meu estômago um pouco “revirado”, mas queria aproveitar tudo. Eu não tinha ido na atração dos Minions quando cheguei no parque porque estava com muito tempo de fila, então literalmente corri e consegui entrar. Já sabia que era um simulador e achei que daria tudo certo, já que tinha ido à outros durante o dia.
Acontece que meu corpo não obedeceu o meu desejo de curtir cada minutinho mesmo cansada. Comecei a ficar tonta, senti muito enjôo e saí trocando as pernas direto pro banco mais próximo. Os planos de ficar na CityWalk pra passear e comer foram por água abaixo.

Saímos do complexo direto pro Camila’s. Disse que não ia comer comida brasileira, porque eram só alguns dias de viagem… paguei a língua. Não precisei tomar nenhum remédio. Repeti o feijão com comida (porque ele era o prato principal) como se nunca mais fosse comer aquilo de novo, e pronto, já comecei a sentir meus sinais vitais de novamente rsrs. Depois foi cair na
cama e dormir pra ressurgir completamente. Faço questão de contar isso porque antes da viagem vimos muita gente falando pra deixar pra dormir quando chegasse no Brasil, pra se cansar mesmo… é claro que cada corpo reage de um jeito, mas chega uma hora que esgota.

Paradinha pra comida brasileira

Ah! Ainda fui ao mercado comprar comidas decentes para o café da manhã do dia seguinte. Só fui de corpo presente mesmo, Jansen fez as compras. Mortinho também, coitado… mas felizes demais!

Dia 3: Islands of Adventure

Aí sim!!! Que dia maravilhoso no Islands of Adventure. Nos permitimos acordar um pouco mais tarde e foi ótimo pra dar uma recarregada. Já que nos hospedamos há 5 minutos do complexo, chegamos no parque bem rapidinho. Sem dúvida éramos seres humanos muito mais evoluídos depois de comer e dormir. E esse parque, por ter bastante atração que molha deu um alívio enorme no calor, que eu não esperava que fosse ser tanto. Levamos uma roupa extra bem levinha, chinelo e curtimos a tarde assim. Adoro me molhar, curto até os espaços infantis, então simplesmente foi um dos meus parques favoritos.

Vai um donuts ai?

Outro fator incrível foi a caneca refil. Estávamos tão fora de nós na Universal que nem pensamos nisso. E foi a melhor aquisição. Toda hora bebíamos água (refrigerantes e sucos também) e nos mantivemos hidratados o dia todo. Não é barato (algo em torno de 15 dólares) mas compensou muito por termos bebida a vontade e sempre geladinha.
Depois desse parque maravilhoso fomos passear no City Walk. Estava doida pra conhecer a Toothsome Chocolate Emporium. A escolha foi um milkshake de pretzel com caramelo e estava ótimo.

Dia 4: Magic Kingdom

E finalmente esse dia chegou. Tudo no Magic Kingdom era emocionante (e só de lembrar os olhos já suam). Passar pelo portal da entrada à caminho do parque, receber o “Have a Magical Day” no guichê do estacionamento, parar o carro com toda aquela organização que nós brasileiros não estamos acostumados, ter um personagem para cada setor de vagas… era só o começo.
Tudo nesse parque é especial e agrada diferentes idades e perfis. É nítida a presença de todas as faixas etárias curtindo muito o parque. Pensei que quero voltar tanto com filhos quanto bem velhinha como vi muitos casais de idosos curtindo juntos.

O parque mais esperado!

Os Fastpass e todas as dicas do VPD nos ajudaram muito a aproveitar o parque, que estava bem cheio por ser o dia da última apresentação do Wishes. Andamos com o VPD de Bolso para sempre consultar sobre as atrações, botamos os horários do FP no alarme do celular e encaramos as filas, que na maioria das vezes foram mais rápidas do que o previsto.
As comidas nesse parque são atrações à parte. Alias, esse é um assunto que muito nos empolga hehe. Um dos nossos vídeos preferidos do VPD é o top 10 doces da Disney. Ficávamos com água na boca antes de ir (e continuamos) e logo tratamos de fazer a nossa wish list de snacks. O primeiro foi o sorvete do Mickey, que superou nossas expectativas.

Sorvete do Mickey!

Dia 5: Dia livre – Compras 

Foi o nosso primeiro dia de compras e focamos em aproveitar ao máximo. Indecisos que somos pra escolher ítens, esquecemos até de tirar foto. Tudo era novidade e estávamos animados pra conhecer as lojas. Começamos por Dolar TreeFive Bellow e Ross. Achamos a Ross fraca e não compramos nada, mas chegamos tarde nela neste dia. Depois dessas lojas
fomos para o Outlet Premium da International Drive, onde passamos o resto do dia.

Os tão sonhados descontos são reais. Na maioria das lojas fazíamos uma conta com o desconto anunciado e quando chegávamos no caixa, mais desconto ainda. Achei a Victoria’s Secrets bagunçada e sem muita opção, mas foi a última loja que fomos. Mesmo assim não posso reclamar, ainda consegui achar sutiã de 2 dólares no meio da confusão. O que percebemos, no geral, tanto na Ross quanto no Outlet foi que quanto mais cedo, mais arrumada a loja e mais produtos bons.

Dia 6: Epcot

Mais uma vez seguimos os conselhos de VPD e adoramos a forma como aproveitamos o Epcot. Passamos a manhã no Future World aproveitando atrações e Fastpass agendados, depois seguimos para o World Show Case conhecer os pavilhões.

Este dia amanheceu nublado, mas como tinha feito sol forte nos dias anteriores não acreditamos que fosse chover. Como viajantes preparados, tínhamos comprado capas de chuva no Walmart, muito mais baratas do que as do parque. Mas a esperteza não foi completa, porque elas ficaram no hotel. A chuva foi forte e tivemos que comprar as capas do
parque mesmo. Antes eu pensava que se chovesse em algum dia na viagem ia acabar com o passeio. Dependendo do parque e do nível da chuva, pode atrapalhar muito, mas nesse caso, mesmo com frio, pés encharcados e alguns quiosques fechados, foi incrível.

Mesmo com chuva, o Epcot é demais!

Como nosso objetivo era comer comidas diferentes, seguimos com o roteiro quase sem alteração. Não conhecemos os pavilhões tanto quanto se o tempo estivesse seco, mas nos divertimos e comemos bem. Um dos meus snacks preferidos foi o sorvete com brioche do pavilhão da França, uma dica maravilhosa aqui do VPD (obrigada Renata, você realmente sabe
o que é bom).

Algumas escolhas, como essa, foram dos pavilhões, outras do Flower and Garden. Quando fizemos o planejamentos dos gastos com alimentação levamos em consideração que neste parque teríamos um gasto a mais e calculamos mais ou menos
quantas comidas/snacks cabiam no nosso orçamento (não na nossa barriga rsrs), assim ficamos mais tranquilos e sem medo de sermos felizes comendo. Não desista do dia chuvoso. No início da noite a chuva foi parando e o Illuminations aconteceu normalmente.

O morango do amor, no pavilhão da China

Dia 7: Dia Livre – Compras

Voltamos na Ross, dessa vez mais cedo, e conseguimos fazer boas compras garimpando bem. Gasta-se um tempo, mas com um pouco de paciência, vale a pena. Compramos bolsas, mochilas da Kipling para as sobrinhas, tênis, roupa (achei a sessão masculina muito melhor que a feminina) e bugigangas. Depois passamos de novo na Five Bellow e seguimos para o Florida Mall conhecer a M&M’s World e Carlo’s Bakery.

Dia 8: Magic Kingdom

Compramos 5 dias de parque, então escolhemos repetir o Magic Kindgom. Queríamos finalizar a viagem com ele, mas só conseguimos fazer reserva no Be Our Guest para este dia. Não tinha muitos horários disponíveis então marcamos para o final da manhã, pois já seria o nosso almoço. Os pratos estavam gostosos e bem servidos. Mas o que nos chamou mais atenção mesmo, além da experiência naquele ambiente fantástico, foi o atendimento. Desde a recepção, todos muito bem organizados e atenciosos.

O ambiente incrível do Be Our Guest

O bom de ir uma segunda vez é que a gente já tem uma noção muito maior de como é, onde ir e o que preferimos. No primeiro dia de MK chegamos no parque de manhã mas não pegamos ele abrindo, por isso, as filas já estavam grandes. Neste segundo dia tentamos chegar para ver o show de abertura do parque, e entrar com ele vazio, mas o Monorail parou de funcionar bem na nossa vez de embarcar. Com a fila do Ferryboat enorme, só conseguimos ouvir os fogos da abertura de longe. Mesmo assim entramos com o parque ainda com poucos visitantes, corremos para a montanha russa dos sete anões e pegamos a fila se formando, bem pequena (comparado ao tempo de espera de sempre). Mesmo tendo Fastpass pra ela pro final do dia decidimos aproveitar já que depois ficaria difícil repetir pelo tempo de fila, então ganhamos tempo.

Como disse no primeiro dia de MK, tínhamos uma lista de snacks pra experimentar, e o Funnel Cake era o que não podíamos deixar passar. Fomos exatamente no local que a Renata indica no canal (lá no parque eu acessei rapidamente o VPD de bolso, onde também tem o Top 10 doces da Disney). Não vimos a calda de morango nas opções, mas pedimos ao atendente. Veio direitinho e realmente, é deliciosa.

Funnel Cake com calda de morango <3

Fechamos o dia com o novo show, Happily Ever After, que estávamos cheios de expectativa pra assistir, ainda mais por estarmos com o Wishes fresquinho na memória. Confesso que fiquei um pouco saudosista com a magia do Wishes, mas fiquei bastante emocionada e aprendi a amar o show. Voltei pro Brasil já ouvindo a música do show no Spotify, na próxima
ida vou estar chorando e cantando junto.

Dia 09: Animal Kingdom

Seguindo às dicas para o Animal Kingdom, marcamos o Safari para o horário da manhã, chegamos e fomos direto pra lá e foi ótimo assim. O sol não estava tão forte, os animais acordados e já visitamos logo uma atração com tempo considerável de fila.
A comidinha que escolhemos também vimos aqui no blog, e caiu super bem pra esse dia agradável e fresquinho: frango com molho de mel com arroz do Yat & Yeti. Adoramos!

Franguinho com molho de mel e arroz: sucesso!

Achamos esse parque muito tranquilo (ainda não tinha Pandora hehe) e gostoso de passar o dia. Daria pra dividir com outra programação, não fosse pelo show noturno. E por falar nele, acabamos “perdendo” o Rivers of Light porque ficamos assistindo a projeção da Tree of Life.

Animal Kingdom!

Quando acabou e nos demos conta que já tinha esgotado os assentos do show, o jeito foi ver aos pulos pelas laterais, obviamente sem a experiência completa de ver os efeitos das luzes na água… mas valeu.

Dia 10: Hollywood Studios

Último dia de parque, no Hollywood Studios… bate uma bad mas ainda é um dia cheio de novidades. Fizemos reserva no Sci-Fi e estávamos super na expectativa. Eu já imaginava que seria uma experiência incrível pela temática do ambiente (realmente parecia que estávamos numa noite em um drive in dos anos 50, embora fosse uma tarde ensolarada em um restaurante)… mas a comida foi um caso de amor à parte… que espetáculo de hambúrguer. Foi de longe uma das minhas refeições preferidas da viagem. Não é barato, mas vale cada cents.

Almoço no clima dos anos 50 no Sci-Fi

Pegamos um dia de parque tranquilo, não sei se pelo dia da semana (foi uma quarta-feira) ou por ele estar passando por muitas reformas, sei que conseguimos repetir atrações como Toy Story Mania várias vezes, tanto enfrentando a fila quanto agendando o Fastpass depois de termos usado os três do dia.

E claro, deu tempo de ver os personagens também!

Fechamos com o maravilhoso Fantasmic, e dessa vez ficamos espertos e corremos para garantir os assentos rsrs. Foi lindo (e emocionante, claro) encerrar a viagem com esse show, com vários personagens, fogos, projeção e o Mickey como anfitrião.

Mesmo com alguns contratempos nossa viagem foi perfeita pra nós. Aprendemos com as situações e ficamos orgulhosos de tudo o que pesquisamos e corremos atrás para que ocorresse da melhor forma. Ah, e fizemos também um vídeo rápido da nossa viagem:

Obrigada VPD pela diversidade de conteúdos, com dicas e detalhes.

Até a próxima Viagem do Leitor,

Luiza e Jansen.

Se você, assim como a Luiza, tiver histórias para contar sobre sua viagem para Orlando, ou quiser registrar como foi a refeição em algum restaurante da cidade, compartilhar o seu roteiro ou ainda relatar como foi a estadia no hotel escolhido, nos escreva mandando o seu texto, fotos e vídeos e eles poderão ser publicados aqui no VPD. O endereço é viagemdoleitor@vaipradisney.com (lembrem-se que dúvidas não serão respondidas por esse e-mail, por favor use as caixas de comentários do site).



O Vai Pra Disney é um blog independente e não é um canal mantido pela The Walt Disney Company. As informações contidas nesses sites representam a opinião de seus autores, colaboradores e usuários. Walt Disney World Resort, nomes e logos são marcas registradas da The Walt Disney Company.