Parques

Roteiro – Sea World

logo-sea-world

O Sea World é um parque polêmico. Enquanto alguns adoram os shows, muitos condenam o parque por “explorar” os animais marinhos e submetê-los a um ambiente longe dos seus habitats naturais. Se por um lado eu sou contra esse lado pelo qual o Sea World ficou famoso, por outro eu acho que as montanhas russas do parque estão entre as melhores de Orlando, na minha opinião. Fato é que independente da sua posição em relação a polêmica, o Sea World tem atrações que agradam os mais diversos visitantes, desde os mais radicais até as crianças pequenas.

Clique aqui para abrir o mapa do parque enquanto lê o roteiro.
– Se quiser fazer o download deste roteiro para imprimir depois, clique aqui.
– Para ver este roteiro em vídeo, é só dar play aí embaixo. Aproveite para dar seu like e assinar nosso canal para receber mais dicas para sua viagem a Orlando. 😉

Dicas gerais sobre o Sea World:

O parque fecha mais cedo
Por ser um parque com animais, assim como o Animal Kingdom da Disney, o Sea World fecha na maior parte do ano, mais cedo do que os outros parques. Nos meses de Outono e Inverno (de Setembro a Abril), o parque fecha entre às 17 e às 18 horas. Já nos meses de primavera e verão (de Maio a Agosto) entre as 21 e 22 horas.
Aproveite que é um parque menor e que fecha mais cedo, para colocá-lo junto com outros programas no seu roteiro: compras ou outro parque que fecha mais tarde da Disney como o Epcot ou o Magic Kingdom (mas vale dizer que estes parques merecem um dia inteiro da programação, se você tiver tempo para isso).

Também tem show de fogos
Nos meses mais quentes em que o parque fecha mais tarde, alguns shows especiais com as baleias e shows de fogos de artifício são incluídos na programação do Sea World.

Parque mais espalhado
O Sea World é dividido em 8 zonas temáticas, como Gelo, Mistério, Superfície, etc.  Suas atrações e shows ficam espalhados por todas elas. Nosso roteiro vai ser diferente, e vamos dividir todas as atrações entre as categorias “imperdíveis”, “se sobrar tempo”, “não recomendo” e “só para crianças”.

São muitos os shows apresentados no Sea World por isso é importante ficar de olho nos horários.

São muitos os shows apresentados no Sea World por isso é importante ficar de olho nos horários.

Sentido e tabela de horários
Assim como todos em outros roteiros, sempre deixo a dica: programar seu caminho no parque no sentido anti-horário (da direita para a esquerda no mapa) é a melhor maneira pois a maior parte dos turistas caminham no sentido horário. Além disso, sendo um parque com muitos shows, tenha sempre a mão o mapa e a tabela de horários do dia. É muito importante se programar de acordo com os horários dos shows para garantir que você não vai perder nada.

Minha opinião
Sendo o Sea World um parque com muitos shows com animais, esse roteiro reflete muito mais a minha opinião pessoal do que somente um mapeamento de todas as atrações. Eu por exemplo, prefiro muito mais os shows com os animais marinhos do que o show de pets (animais domésticos) que o parque também exibe. Então tenha consciência de que você deve montar sua programação de acordo com o seu gosto, não com o meu 🙂

SUGESTÃO DE ROTEIRO DO SEA WORLD

icone-mickey-imperdiveisIMPERDÍVEIS (no sentido anti-horário)

One Ocean (Shamu Stadium): O famoso show da baleia Shamu. Na verdade, a baleia que apresenta hoje é da família da Shamu original (se eu não me engano, da 4a ou 5a geração). Seja com a original ou com a tataraneta, o One Ocean é um show imperdível e é impressionante de tão bonito. São diversas baleias que fazem acrobacias em um tanque gigantesco, brincam com os treinadores. Minha dica é: tente ir para lá assim que entrar no parque. Além de ser o show mais buscado, as baleias estão mais dispostas pela manhã, e o show tende a ser bem melhor. E se o dia estiver calor, sente nas fileiras mais próximas do tanque para levar um banho d’agua.

Além do show com as baleias, tem também o Dolphin Days com golfinhos.

Wild Artic: Um simulador muito legal de uma expedição no Ártico, pra quem gosta desse tipo de atração como eu. No final, você cai em uma espécie de aquário com animais polares, como pinguins!
Antarctica: Empire of the Penguin: Essa é a atração da vez no Sea World. Apesar de eu achar mais voltada para as crianças, acaba valendo a pena para a família toda, até porque no final você pode admirar vários pinguins de pertinho. O propósito da atração é mostrar como é a vida dos pinguins no polo sul, mais precisamente de um pinguim que eles escolheram para ser o personagem principal da atração, o Puck. O começo da atração é meio monótono pois é bem explicativo, mas não desista, no meio dela você terá que escolher o nível de intensidade da atração: leve (mild) ou radical (wild), e a partir dai você entra em carrinhos que ficam fora de trilhos em uma aventura pela Antarctica. Apesar de eu não gostar muito, toda a minha família gosta e ela de fato é bem popular a julgar pelo tamanho das filas, por isso a coloquei no grupo de atrações imperdíveis.
Shark Encounter: Um aquário embaixo d’agua que te permite ver “por dentro” o habitat natural dos tubarões. É impressionante pois através de um tubo, você fica cara a cara com diversas espécies de tubarão.
Shamu Underwater Viewing: se você quis visitar o Sea World para ver as baleias, além do show, vai gostar desta área onde é possível vê-las embaixo d’àgua.
Clyde and Seamore’s Sea Lion High: Para mim esse teatro sempre trouxe os shows mais divertidos do parques. Desde que eu era criança ele apresenta montagens em que os personagens principais são leões marinhos e sempre com um viés de comédia. Hoje o show conta com a presença de lontras e morsas além dos leões marinhos, esse show acontece em um cenário de escola e é super bem feito. Os animais dão um show mesmo!
– Kraken Unleashed: Essa é a montanha russa mais antiga do Sea World, e é bem forte. A temática dela é baseada no monstro do mar chamado Kraken e ela anda com bastante velocidade, altura e um looping no meio. Pra quem curte montanha russa, vale a pena – e em 2017 ela voltou de uma reforma com a adição de uma nova experiência de Realidade Virtual, em que você usa um óculos especial que te faz sentir debaixo do oceano (atualização: a realidade virtual está indisponível por tempo indeterminado).
Journey to Atlantis: Essa é a Splash Mountain do Sea World. Ela é bem chatinha na parte interna, onde alguns bonecos se movimentam e cantam, mas as quedas são boas e ela nem molha tanto quanto as da Disney e da Universal.
Dolphin Days (Dolphin Theater): O show com golfinhos que substituiu o antigo Blue Horizons. Os animais são incrivelmente sincronizados e velozes, o que combina muito bem com os acrobatas/treinadores que interagem com eles.
Manta: Pra mim essa é uma das melhores montanhas russas de Orlando. A Manta, que imita uma “raia marinha”, deixa as pessoas de barriga pra baixo no carrinho, o que pode dar um pouquinho de medo no começo, mas só no começo. Depois, todo mundo curte muito um passeio panorâmico pelo Sea World. É diferente de todas as outras montanhas russas que você vai encontrar em Orlando!
Mako: mais recente e uma das melhores adições desse parque nos últimos tempos. É “apenas” a montanha russa mais rápida, alta e longa de Orlando. Imperdível para todo mundo que gosta de adrenalina.

Desse ângulo a Mako até parece inofensiva, mas espere até ver a altura da queda principal!

icone-mickey-se-sobrar-tempoSE SOBRAR TEMPO

Sky Tower: Um passeio tranquilo por uma torre que te leva a 400 pés de altura para uma vista panoramica de Orlando. Pra quem gosta de passeios tranquilos e de apreciar uma boa vista, vale a pena embarcar nessa atração que foi construída há 40 anos.
– TurtleTrek: a atração é muito bonitinha falando da vida e desafios das tartarugas no mar. Tanto a atração como o aquário que a antecede valem a pena se tiver um tempo sobrando.
Pacific Point Preserve: você vai acabar passando por aqui no seu caminho pelo parque e vai poder admirar as focas se exibindo enquanto tomam um solzinho.
Dolphin Cove: Veja um tanque cheio de golfinhos, próximo dos tratadores e até brinque com eles. É aqui que acontecem os tours extras “Dolphin Encounter” e “Dolphin Up-Close Tour” para ter uma experiência mais próxima com os golfinhos (pagas à parte). Contamos mais sobre a Dolphin Up-Close Tour aqui.

icone-mickey-naorecomendoNÃO RECOMENDO

– Pets Ahoy!: um show com animais mais domésticos, digamos assim. Todos são adestrados e o show é muito bem feito, mas acho que foge um pouco da proposta da visita ao Sea World então eu não acho que você precise perder muito tempo aqui, a não ser que realmente já tenha ido em todo o resto.

Manta: Passeio em uma raia é uma das atrações mais emocionantes do Sea World.

Manta: Passeio em uma raia é uma das atrações mais emocionantes do Sea World.

icone-dicasSÓ PARA AS CRIANÇAS

Shamu’s Happy Harbour: uma área infantil com playground e atrações divertidas que as crianças geralmente curtem bastante:
Shamu Express: montanha russa infantil e suave, com os carrinhos no formato da baleia
Ocean Commotion: tipo um barco viking, mas não é radical e faz movimentos suaves
Flying Fiddler: uma atração mais agitadinha, como se fosse um elevador que cái, só que para crianças. Na verdade ele só fica subindo e descendo, dando um friozinho na barriga, mas não é alto e tem o formato de um caranguejo.
Swishy Fishies: tipo a atração da xícara, mas não tão radical.
Seven Seas Railway: trenzinho que leva as crianças em um passeio ali pela área.
Sea Carrousel: carrossel clássico, mas aqui com o tema das criaturas do mar
Fun Ship: playgound em um navio
Net Climb: são várias redes de corda pras crianças escalarem e depois descer pelos tobogãs
Jazzy Jellys: é tipo a atração da xícara, só que mais radical. Aqui dá pra girar mais rápido, e as “xícaras” sobem e descem.

 

Aquário submerso para ver os tubarões. Uma experiência inesquecível!

Aquário submerso para ver os tubarões. Uma experiência inesquecível!

icone-food-tipFOOD TIP

O restaurante mais legal e diferente do parque é o Sharks Underwater Grill, em que você come num aquário com tubarões e peixes. A comida é bem executada e a experiência super legal em um ambiente bonito, recomendo para quem tem um orçamento mais tranquilo e gosta mesmo de  “sentar e comer” uma comida de verdade mesmo nos dias de parque. Por ser a la carte, o valor depende do prato escolhido mas em média fica entre 45-60 dólares por pessoa.

Já o Dine with Shamu eu recomendo para quem quer uma experiência mais próxima com as baleias e fugir do fast-food com uma refeição completa. O almoço acontece em um ambiente reservado e com vista para uma piscina em que as baleias nadam e fazem acrobacias com os treinadores, a comida é no estilo buffet à vontade, bem variada e não tem um preço proibitivo – fica entre 35-45 dólares por adulto, dependendo do dia da visita.

Para quem busca uma opção fast-food, existem diversos restaurantes e lanchonetes espalhadas pelo parque, mas uma das que eu mais gosto, fica bem no meio dele e se chama Lakeside Panini Bistro. Lá você come uns sanduíches bem gostos e saudáveis, com vista para o lago que fica no centro do Sea World.
Comi lá também, um bolo de cenoura (carrot cake) delicioso – o bolo de cenoura americano é bem diferente do nosso pois ele é mais escuro, tem algumas especiarias dentro e não é coberto com chocolate, mas com um fondant bem gostoso. Eu gosto pra caramba!

Espero que tenha gostado desse roteiro e aproveite sua ida ao Sea World!

O Vai Pra Disney é um blog independente e não é um canal mantido pela The Walt Disney Company. As informações contidas nesses sites representam a opinião de seus autores, colaboradores e usuários. Walt Disney World Resort, nomes e logos são marcas registradas da The Walt Disney Company.